Redes sociais suspenderam contas de Donald Trump após invasão ao Capitólio em 6 de janeiro de 2021 | Fonte: AFP

A plataforma de vídeos YouTube suspendeu a conta de Donald Trump por tempo indeterminado – informou a imprensa americana, enquanto seu advogado, o ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani, não poderá mais ganhar dinheiro com suas gravações.

O YouTube suspendeu o canal do agora ex-presidente, com 2,77 milhões de assinantes, pela primeira vez, em 13 de janeiro, após a violenta invasão ao Capitólio em 6 de janeiro. E, há uma semana, anunciou que iria prorrogar essa suspensão por sete dias.

A plataforma norte-americana, de propriedade do Google, foi criticada pela lentidão de sua resposta, em comparação com as medidas mais contundentes de outras redes sociais. O YouTube apenas suspendeu a transmissão de novos vídeos no canal oficial do ex-presidente.

“À luz da preocupação com os ainda possíveis atos de violência, o canal de Donald J Trump continuará suspenso”, disse uma porta-voz do YouTube ao site Politico.

Na terça-feira, o YouTube confirmou que impediu Rudy Giuliani, temporariamente, de se beneficiar de seu programa de “parceiros” por desrespeitar de forma reiterada as regras da plataforma, no que diz respeito à desinformação durante as eleições americanas.

O advogado, que acumula 600 mil assinantes em sua conta, não tem mais acesso a determinadas funções e não pode mais receber dinheiro dos anúncios veiculados antes dos vídeos.

O ex-prefeito de Nova York, de 76 anos, que também corre o risco de ser expulso do Colégio de Advogados de Nova York, alimentou teorias conspiratórias, garantindo que as eleições foram fraudadas para beneficiar o rival de Trump, o democrata Joe Biden.

Fonte: AFP