Durante a CPI da Pandemia desta quarta-feira (16), o senador Flávio Bolsonaro discutiu com colegas que integram a CPI e com o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que estava prestando depoimento.

Os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmaram que Flávio estaria intimidando a testemunha.

Em determinado momento o relator Renan Calheiros, sugeriu que a sessão fosse a portas fechadas e foi ironizado, “Quanto carinho, senador relator. Quanto carinho com a testemunha. Parabéns, trate assim todo mundo”.

Calheiros retrucou, “Não me interrompa, seu pai parece que não lhe deu educação, não me interrompa, por favor”.

Witzel foi questionado se estava incomodado com a presença do filho do presidente Jair Bolsonaro, o mesmo disse “não fazer questão” da presença do senador.

Em seguida disparou, “Conheço ele desde garoto. A minha questão aqui não é pessoal, é institucional em defesa da democracia. Se o senhor fosse um pouquinho mais educado e menos mimado, o senhor respeitaria o que eu estou falando”.