Wesley Safadão e Thyane não aceitam acordo do MP para pagar valor como pena por furar fila da vacinação - Foto: Reprodução

O cantor Wesley Safadão, a sua esposa, Thyane Dantas, e a assessora do músico, Sabrina Tavares, negaram, na manhã desta quinta-feira (28), um acordo oferecido pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) para que a investigação sobre a vacinação irregular dos três não prosseguisse. O acordo consistia no pagamento de um valor (ainda a ser especificado) a uma organização social, como pena por terem furado a fila da vacinação.

A defesa dos três havia pedido a celebração do acordo no dia 14 de outubro. Em nota, o MPCE afirmou que o trio, acompanhado pela defesa, não aceitou o acordo. De acordo com o órgão, a proposta consistia “em prestação pecuniária a ser destinada a entidade pública ou privada com destinação social”. Desta forma, conforme o Ministério Público, a investigação criminal continuará sendo analisada.

A assessoria de imprensa de Wesley Safadão disse que aguarda informações do setor jurídico para se posicionar.

Os três são investigados pelo MP por terem se vacinado irregularmente na campanha de imunização contra a Covid-19. Thyane Dantas furou a fila em 8 de julho de 2021. Ela tinha 30 anos e, na época, o calendário municipal de vacinação previa a aplicação em pessoas com 32 anos ou mais. Já Wesley Safadão e a produtora Sabrina Tavares estavam agendados para serem vacinados no mesmo dia no Centro de Eventos do Ceará, mas foram a outro posto de vacinação em um shopping.

Com informações do portal G1 CE.