Caracas (AFP) – O governo venezuelano informou nesta terça-feira (21) que recebeu um milhão de segundas doses da vacina anticovid Sputnik V, feita pelo laboratório russo Gamaleya, em meio a reclamações sobre atrasos em sua aplicação.“Já chegou o milhão de segundas doses que faltavam (…), os nossos idosos podem ficar tranquilos porque já temos todas as segundas doses de que precisamos”, disse o ministro da Saúde, Carlos Alvarado, ao receber a remessa no aeroporto de Maiquetía, que serve Caracas.Na Venezuela, com 30 milhões de habitantes, 5,2 milhões de pessoas receberam as duas doses das vacinas aplicadas no país – Sputnik V e a do laboratório chinês Sinopharm -, segundo Alvarado. Até o momento, 8,8 milhões receberam apenas a primeira dose, disse o ministro.O número é superior ao informado pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), que responde por 4,2 milhões de pessoas que receberam as duas doses e 6,8 milhões apenas com a primeira.A escassez de segundas doses da Sputnik V afetou vários países da América Latina, incluindo a Venezuela, que teve que estender sua aplicação por três meses ou mais.O governo indicou que dará prioridade a adultos com mais de 50 anos, mulheres grávidas com mais de 15 semanas de gestação e maiores de 17 anps com deficiências. “A partir de amanhã, Caracas (e os estados) Miranda, La Guaira e Aragua, todos aqueles que receberam a primeira dose antes de 30 de junho podem ir sem marcação aos postos de vacinação onde tomaram a primeira dose”, disse o ministro em discurso transmitido na TV estatal.