Saúde e Bem-Estar

Unidade feminina da clínica de recuperação Casa Despertar promove ação em alusão ao Agosto Lilás

A Casa Despertar, clínica terapêutica para tratamento de dependência química e alcoolista, oferece às pacientes da unidade feminina palestras de conscientização sobre o “Agosto Lilás”, que visa sensibilizar a sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher, além de fortalecer o conhecimento sobre a Lei Maria da Penha.

“As palestras e oficinas têm como objetivo central mostrar a nossas pacientes como os abusos psicológicos e físicos podem ocorrer, apresentar meios e soluções de denúncia, caso seja necessário, e orientá-las sobre a busca por ajuda, além de trocarmos experiências pessoais e profissionais”, conta Sandramile de Moura, psicóloga e gerente da unidade feminina da Casa Despertar.

A psicóloga ainda comenta sobre a relação entre a violência contra a mulher e o uso de drogas. “Observamos nos atendimentos que, quando a mulher sofre violência, seja física ou psicológica, a propensão para o uso de drogas lícitas ou ilícitas, aumenta, sendo esse um fator desencadeador da adicção”.

Relacionamentos abusivos, violência doméstica, abuso sexual e violência psicológica são apenas alguns dos temas abordados pelas profissionais que conduzirão os momentos durante o mês agosto, até o dia 28.

Unidade Feminina

Inaugurada no mês de julho deste ano, a unidade tem equipe composta por profissionais mulheres que atendem de maneira única cada família e paciente que necessita de ajuda.

A Casa Despertar realiza internações voluntárias, para quem tem comprometimento leve; involuntária para casos de pacientes com comprometimento moderado a grave, em situações em que estão colocando em risco sua vida ou de outros; e internação compulsória, por determinação judicial (internação solicitada pela justiça).

Para mais informações sobre o atendimento, estão disponíveis os seguintes canais de comunicação: (85) 98865-2500 e (85) 98171-5776.

Foto: Divulgação

Tags
Exibir Mais

Edinaele Sousa

Jornalista e Produtora, 22. Além de registrar fatos, o jornalismo escreve histórias que serão contadas por gerações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar