Foto/Reprodução: Fato Amazônico

Foto/Reprodução: Fato AmazônicoO presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que promove incentivos à chamada Internet das Coisas. A expectativa é que a medida aqueça o setor, torne a tecnologia mais barata, traga investimentos para o Brasil e gere mais de 10 milhões de empregos nos próximos anos. 

O objetivo principal por trás da Internet das Coisas é favorecer a vida dos usuários e clientes, tornando o uso de certos dispositivos mais práticos e até permitindo a automação de serviços. Há vários exemplos como geladeiras conectadas, pelas quais é possível ver imagens do interior e ser avisado de que alguns produtos acabaram, e máquinas agrícolas capazes de controlar a irrigação, transmitir informações sobre umidade, acidez e nutrientes do solo, o que garante ao produtor mais eficiência do plantio à colheita.

“Com a medida, a expectativa é de que o Brasil seja uma das grandes potências globais no mercado de Internet das Coisas. Outro aspecto positivo é que a desoneração incentive o desenvolvimento de dispositivos com a tecnologia 5G”, destacou o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

A legislação entrará em vigor no dia 1º de janeiro de 2021, com benefícios tributários até 2025.

MAIS SOBRE A INTERNET DAS COISAS

A Internet das Coisas ou IoT, é um fenômeno atual que faz parte dos assuntos principais da revolução tecnológica. São inúmeras possibilidades e seu desenvolvimento está transformando nossa relação com a tecnologia, mudando o modo como interagimos com o mundo e, principalmente, o modo como o mundo interage conosco. Esse conceito pode mudar não só a forma que vivemos, como também a que trabalhamos. 

No mais, a Internet das Coisas nada mais é do que o modo como os objetos físicos estão conectados e se comunicando entre si e com o usuário, através de sensores inteligentes e softwares que transmitem dados para uma rede. Suas consequências nos tornam um planeta mais inteligente e responsivo.

Foto/Reprodução: Future Technologies