Foto: Divulgação

As startups de impacto social possuem uma característica em comum: para além do lucro, elas têm um propósito de transformação e utilizam os seus projetos para, como o próprio nome já diz, impactarem positivamente a sociedade, seja no aspecto ambiental ou social. Conforme um estudo realizado  pela Global Impact Invest Network, são mais de 502 bilhões de dólares em ativos resultantes de investimentos de impacto, gerenciados por mais de 1340 organizações ao redor do mundo.

Aqui no Ceará, a startup Ohana nasceu com este propósito, tendo a missão de maximizar o impacto da atuação de organizações sociais (OSCs e OSCIPs) por meio da educação e tecnologia. A empresa está na fase de Criação do Programa Corredores Digitais, uma iniciativa do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE) em apoio ao desenvolvimento de iniciativas inovadoras.

Em pouco mais de nove meses de atuação, a Ohana já auxiliou cerca de 10 instituições, dentre elas: Grupo Fica Bom, Associação dos Moradores e Amigos da Maraponga (AMAM), Arapuá Basquete Feminino, Lar para Animais e Tratamento (LAT), Instituto Vida Videira, Lar Franciscos de Assis, Associação Nossa Senhora Rainha da Paz (ANSPAZ) e Associação de Mulheres Empreendedoras do Ceará (AME). O questionamento  “Quem ajuda essas instituições?” foi que impulsionou o nascimento da Ohana, diz Pedro Lucas de Almeida, sócio-fundador da startup.

“Nossos membros sempre foram extremamente engajados em projetos/causas sociais e faziam isso através de diversas instituições espalhadas pelo nosso estado do Ceará, que ajudavam vários tipos de causas, mas um certo dia pensamos: “Que incrível essas várias instituições ajudando as mais diversas causas, mas quem ajuda elas no final do dia?” Como não conseguimos pensar em nenhuma resposta para essa pergunta, resolvemos criar a Ohana”, detalha.

Para cumprir este papel, a startup oferece às instituições beneficiadas o Ciclo de Formações e o Ohana App. “O Ciclo de Formações é uma série de cursos e treinamentos voltados para tópicos de gestão organizacional como: marketing institucional, jurídico, financeiro e voluntariado para as instituições do terceiro setor. Já no web aplicativo, atualmente em fase de testes iniciais, as organizações encontram um ecossistema no terceiro setor, conectando instituições, empresas, doadores e voluntários, criando assim um ambiente mútuo de ajuda e uma corrente do bem”, explica Pedro Lucas.

Os interessados também podem conferir o OhanaCast, podcast com conteúdos relacionados ao terceiro setor. A cada episódio, são apresentados ao público cases de sucesso de todo o Brasil, com instituições e pessoas que vêm gerando um impacto positivo em suas áreas.

Saiba mais em:

Aplicativo Web: http://bit.ly/appohana

Podcast: http://bit.ly/ohanacast

 Sobre o Corredores Digitais

O Corredores Digitais é um programa de inovação voltado para o desenvolvimento de empresas, produtos e negócios em áreas estratégicas da economia do Estado do Ceará, realizado pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (SECITECE). A iniciativa atende projetos inovadores em diferentes fases. Além de oferecer acesso a benefícios, como: mentorias, vantagens de empresas parceiras, capacitação e networking.

Sobre a Ohana 

Startup cearense de impacto social que tem como missão contribuir com OSCs e OSCIPs por meio da educação e tecnologia a fim de maximizar o impacto de suas atuações. Saiba mais em: @ohanaenactus (instagram).