Mundo DigitalNovas Tecnologias

Spotify quer restringir uso do plano familiar ao verificar localização das pessoas

Para assegurar que assinantes não estão abusando do plano familiar do Spotify, a plataforma de streaming começou a checar onde elas vivem.

Pode parecer esquisito, mas isto está descrito nos termos de serviços do Spotify que foram atualizados em agosto. Uma pequena sentença destaca esta nova política, que explica por qual razão a mudança passou despercebida, até que o pessoal da CNET a viu nesta quinta-feira (12).

Assinantes do plano premium familiar devem fornecer um endereço residencial usando o Google Maps ou permitindo que o Spotify acesse serviços de localização ao se inscrever, informações que a empresa agora verifica periodicamente.

Até seis pessoas podem compartilhar o plano premium familiar do Spotify. Embora suas diretrizes mantenham que seis pessoas devam morar no mesmo endereço, aparentemente, algumas pessoas estavam ignorando a regra e compartilhando sua conta com quem quisesse — lembrando que este plano custa R$ 26,90 por mês — aí a empresa resolveu tomar uma ação.

Uma conta separada do Spotify tem mensalidade de R$ 16,90. Se seis pessoas estão utilizando o plano familiar e não cumprem o determinado nos termos de serviço, elas pagariam apenas R$ 26,90. Individualmente, estas seis pessoas pagariam ao todo R$ 101,40. Por tudo isso, não me choca o Spotify querer ter um controle maior.

Até agora, o Spotify não tinha procedimentos para avaliar se os assinantes estavam cumprindo os termos de serviço, então não bem fácil ter a assinatura familiar e dividir com amigos. No entanto, no ano passado, a empresa começou a pedir informação de localização de assinantes como parte de um programa piloto que, aparentemente, não pegou muito bem, até pela crescente cultura de compartilhamento consciente de dados que temos atualmente, segundo o TechCrunch.

Porém, acho que o Spotify não se intimidou com isso, já que a empresa agora pede aos assinantes que confirmem seu endereço residencial “de tempos em tempos” para permanecer no plano graças a esses novos termos de serviço. O Gizmodo entrou em contato com o Spotify para ter uma ideia da frequência do uso do plano familiar entre pessoas que não moram no mesmo endereço. Até para entender as regras. Tipo, se compartilho uma conta com minha família, mas moro sozinho, isso configura uma violação?

O Spotify não respondeu imediatamente nosso pedido, mas a companhia forneceu o seguinte comunicado para a CNET sobre o uso das informações de localização com esta nova política:

“Estas informações são criptografadas e podem ser editadas pelo dono do plano quando necessário. Os dados de localização são coletados durante a criação da conta premium familiar e é usada pelo Spotify apenas para este propósito”

Infelizmente, no momento, parece que as famílias que desejam obter essa mensalidade com desconto, mas não vivem no mesmo local, estão com um baita azar.

Fonte: Gizmodo
Foto: Reprodução 

Tags
Exibir Mais

Thaynara Pinheiro

Designer de Moda, trabalha com produção de conteúdo, fotografia, moda, e tem um pé no design gráfico. Sempre disposta a ajudar e a fazer de tudo para os jobs saírem perfeitos. Responsável pela execução e criação de projetos do Portal Siará News e pela produção do programa Siará Digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar