EducaçãoNotícias

Sistema de Busca Ativa reduz evasão escolar para 0,4% em Fortaleza

O Sistema de Busca Ativa, estratégia própria de acompanhamento diário da frequência escolar desenvolvida pela Secretaria Municipal de Educação de (SME), vem atuando como instrumento para erradicar a evasão escolar e efetivar o direito de aprender. De acordo com o Censo Escolar, entre os anos de 2008 e 2018, houve redução de 93,8% do abandono no Ensino Fundamental, e o índice de abandono registrado em 2019 foi de apenas 0,4%.

Com a Busca Ativa, é possível acompanhar a frequência de 100% dos alunos, do Infantil I à Educação de Jovens e Adultos (EJA), de forma a assegurar o monitoramento diário da frequência escolar. Além disso, o sistema possibilita o registro das estratégias tomadas em relação a alunos, a partir do primeiro dia de falta escolar injustificada.

Conforme o secretário adjunto de Educação, Jefferson Maia, as escolas são protagonistas e instrumento essencial para o sucesso deste processo de acompanhamento. Ele explica que, por meio das estratégias da Busca Ativa, as escolas realizam comunicação com a família, via telefone, ou com o próprio estudante, caso tenha alcançado a capacidade civil; envio de comunicado escrito e visita domiciliar. Se esgotados os meios de busca do estudante pela unidade de ensino, após dez dias sem contato, é realizado o envio de ofício ao Conselho Tutelar.

“É um sistema inovador, extremamente eficaz e, principalmente, sustentável, pois foi criado com forças e capital humano próprio da secretaria, Ele garante um acompanhamento em tempo real, que permite intervir quando necessário, de forma a garantir que a criança tenha seu tempo escolar protegido, que as faltas sejam mínimas e que a gente erradique o abandono escolar em Fortaleza”, destacou Jefferson.

O secretário detalha que há, também, uma qualificação dos gestores e técnicos escolares para atuarem na Busca Ativa. “Além disso, temos uma equipe de Busca Ativa que presta suporte às escolas, cada distrito tem um articulador e seis agentes exclusivos para esse trabalho de estar em contato com as escolas e as famílias, além da superintendência escolar, que é a grande gestora do projeto”.

Apesar do sistema demonstrar que o maior número de faltas são justificadas por motivos de doença, as condições socioeconômicas das famílias dos alunos, a dificuldade de deslocamento e o trabalho precoce, dentre outras questões, são fatores podem levar à evasão escolar.

A diretora da Escola Municipal Edith Braga, Luzi Dantas, ressaltou a importância do trabalho em equipe e do engajamento dos profissionais da unidade para o sucesso dessa política. Para ela, esse acompanhamento, por ser realizado desde a Educação Infantil, faz com que a realidade de cada criança seja conhecida de perto.

“Os contextos são inúmeros. Às vezes, é apenas uma falta de acompanhamento, ou um problema emocional, ou um problema com os pais, e tudo isso a gente investiga e a partir disso, o professor detecta, se reúne com a coordenação e decide quais atitudes serão tomadas conforme cada aluno. A gente quer que o aluno saia daqui tendo realmente aprendido, com o embasamento para fazer bem os anos seguintes, principalmente nos anos de adolescência, quando são maiores os índices de evasão”, afirmou Dantas.

Foto: Reprodução/ Internet

Tags
Exibir Mais

Brenda Bezerra

Estudante de publicidade e propaganda, produtora de moda e criadora de conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar