Sindicato dos Médicos do Ceará realiza ato no Palácio da Abolição pela efetivação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários - Foto: Divulgação

O Sindicato dos Médicos do Ceará realizou, na manhã da última terça-feira, 26, em frente ao Palácio da Abolição, um ato pela efetivação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). O objetivo é sensibilizar o governador Camilo Santana para aprovar o novo projeto do PCCS elaborado pelos sindicatos da área da saúde: Sindicato dos Médicos do Ceará, Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Ceará, Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Ceará, Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Ceará e Sindicato dos Odontologistas do Ceará.


“Reunimos enfermeiros, médicos e demais profissionais da saúde para cobrar que o PCCS da saúde precise entrar imediatamente. Durante a pandemia, os profissionais da saúde mostraram sua importância, então nada mais justo do que aprovar esse Plano, que não pede nada além do básico para valorizar todas essas categorias. Os atrasos e distorções que existem na saúde precisam ser compensadas por meio deste PCCS. Desde 2008, temos defasagem salarial, precisamos de um novo PCCS atual, moderno e justo. São mais de 13 anos de espera e desvalorização salarial, que chega a 100% quando comparada à inflação desse mesmo período”, destaca o Leonardo Alcântara, presidente do Sindicato dos Médicos. 

De acordo com a coordenadora do Departamento Jurídico do Sindicato dos Médicos, Dra. Thaís Timbó, o ato vem após várias mobilizações junto a representantes do governo pela valorização da categoria da saúde. “Estamos nessa luta há muito tempo, vindo de várias reuniões com os órgãos competentes. Foram diversos encontros onde construímos um plano que busca minimizar as perdas que tivemos ao longo desses anos. Precisamos, o mais rápido possível, de uma resposta. Nossa categoria precisa de uma reparação devido a toda a dedicação que tivemos. E agora, estamos aqui cobrando que o governador escute a categoria”, ressalta.  

Reuniões

Os sindicatos estão cumprindo extensa agenda de sensibilização junto aos parlamentares cearenses e Secretaria do Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag-CE), para apresentar a proposta do PCCS e cobrar a efetivação do plano para os servidores estaduais da saúde. 

No dia 27 de setembro, os Sindicatos da saúde encaminharam um ofício ao governador do Ceará, Camilo Santana, solicitando uma reunião para tratar sobre a efetivação do PCCS. No dia 7 de outubro, os representantes dos sindicatos participaram de uma reunião na Assembleia Legislativa do Ceará, com os deputados. No dia 14, participaram de uma reunião com o secretário Mauro Filho, na sede da Secretaria do Planejamento e Gestão do Ceará (Seplag-CE), para apresentar a proposta sobre o PCCS dos servidores estaduais da saúde.

Nesta quarta-feira, 20, os representantes dos Sindicatos da saúde estiveram na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, reunidos com os deputados Jeová Mota e Augusta Brito para reforçar o interesse de uma audiência com o governador Camilo Santana para tratar sobre o assunto que requer urgência. 

Valorização

As entidades destacam, ainda, que os editais do Concurso Público da Fundação Regional de Saúde do Estado do Ceará (Funsaúde), que prevê o provimento de milhares de vagas para empregos públicos da área assistencial, administrativa e médica, apresenta uma considerável disparidade na remuneração entre os servidores estatuários lotados na Sesa e os novos aprovados. O ofício evidencia a necessidade de que os profissionais que já laboram há décadas no Estado, sejam valorizados, e pede urgência para a marcação de reunião com o governador Camilo Santana para tratar sobre o PCCS dos servidores da saúde.