CiênciaCotidianoCuidadosSaúde e Bem-Estar

Setembro Amarelo: dúvidas mais frequentes sobre a conscientização e a prevenção do suicídio

Setembro Amarelo é uma campanha que busca trazer o diálogo sobre o suicídio para a sociedade. É uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). E desde 2015 o mês busca a conscientização e a prevenção do suicídio.

O mês de setembro foi escolhido para a campanha porque, desde 2003, o dia 10 de setembro é o dia mundial de prevenção do suicídio, por iniciativa da International Association For Suicide Prevention. A ideia é promover eventos que abram espaço para debates sobre suicídio e divulgar o tema, alertando a população sobre a importância de sua discussão.

A depressão é uma doença psiquiátrica que afeta o emocional da pessoa, que passa a apresentar tristeza profunda, falta de apetite, de ânimo, pessimismo, baixa auto-estima, que aparecem com frequência e podem combinar-se entre si. É imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado.

O tema ainda é considerado um tabu por muitos, pois tanto a mídia, como as pessoas, evitam falar por medo de existir um aumento nos números de casos. Pensando nisso a Siará News preparou uma lista de dúvidas mais frequentes sobre a conscientização e a prevenção do suicídio. Confira: 

Os estereótipos atribuídos a pessoas que sofrem com a doença são reais? Pessoas tristes, sozinhas, pessimistas.

Não, nem sempre a pessoa com depressão apresenta esses sinais e sintomas, ela pode levar uma vida normal, conseguir trabalhar, se relacionar, mas pode estar vivenciando um grande sofrimento e não dividir com ninguém.

É possível ter a depressão e apresentar outros sintomas além dos que todos já conhecem e atribuem à depressão?

Sim, alguns sintomas da depressão podem se confundir com outros problemas, como ansiedade, agitação, irritação excessiva, problemas com sono, perda ou ganho de peso. Uso ou abuso de álcool ou outras drogas.

Quais as causas da depressão? Existem tipos diferentes?

Segundo o DSM-V (Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais), a depressão é multicausal, são vários fatores que contribuem para desenvolver a doença, como fatores genéticos, hereditários, ambientais e comportamentais. A depressão tem características e pode ter intensidades diferentes, como depressão leve, moderada ou grave ou tipos diferentes como transtorno disfórico pré-menstrual, que antecede a menstruação em algumas mulheres. A depressão pode ser induzida por substância ou medicamento, também pode ocorrer devido a outra condição médica, como exemplo na gestação ou no pós-parto. E até sazonal, devido à alteração de clima em países mais frios, isso pode ser recorrente.

Como diferenciar uma tristeza passageira de um quadro depressivo?

Como diz a pergunta, a tristeza é passageira, dura pouco tempo e normalmente vem por alguma causa ou motivo específico, a tristeza é um sentimento, uma emoção normal do ser humano, já a depressão não necessariamente tem relação com algum acontecimento da vida ou motivo, é uma doença e que a duração é maior, afeta muitas áreas da vida da pessoa, como relacionamentos, afeta o prazer, o interesse pelas coisas, causa uma falta de esperança em relação ao futuro, a pessoa que está sofrendo não acha que as coisas podem mudar ou melhorar, a sensação é de desesperança e desamparo.

Quando buscar ajuda?

Quando perceber que existe a presença de uma tristeza profunda ou há falta de prazer e interesse pelas coisas, quando tem alteração de sono ou apetite e se esses sintomas duram há bastante tempo, pelo menos por duas semanas consecutivas, é hora de procurar ajuda profissional. Se perceber algum parente ou amigo nessas condições, se propor a ter uma conversa empática, sem julgamentos e oferecer apoio para buscar ajuda.

Quando pensamos em suicídio, logo a depressão nos vem à mente. Mas diversos distúrbios podem levar a isso, não é? Quais mais?

Sim, outros transtornos psiquiátricos podem ser responsáveis por tentativas de suicídio, como a esquizofrenia, anorexia, assim como uso abusivo ou dependência de álcool e outras drogas, transtornos de personalidade, como o borderline, o antissocial. Traumas vividos na infância como abuso sexual; problemas sociais como o bullying também podem ser responsáveis pelo suicídio.

E se você está bem, mas conhece alguém que talvez não está num momento tão bom… Aproveita e oferece a mão. Incentive a procurar toda a ajuda necessária. Sem preconceitos.

Ligue 188

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Foto: Reprodução

Tags
Exibir Mais

Thaynara Pinheiro

Designer de Moda, trabalha com produção de conteúdo, fotografia e tem um pé no design gráfico. Sempre disposta a ajudar e a fazer de tudo para os jobs saírem perfeitos. Responsável pela coordenação de conteúdos, marketing e criação de projetos do Portal Siará News e pela produção do programa Siará Digital.

2 Comentários

  1. Esse é um assunto bem delicado. Infelizmente a ansiedade, a insônia e o estresse andam juntos com a depressão. E na minha opinião a depressão não é uma frescura como muitos acham que é, ela é uma doença grave que precisa ser tratada o mais rápido. Conteúdo muito top, obrigado por compartilhar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar