EconomiaGeral

Saiba os impactos que o coronavírus causa na economia

O covid-19, doença causada pela epidemia do coronavírus que se iniciou na China, tem avançado pelo mundo o que atinge diretamente a economia global. A epidemia tem causado preocupações por parte de investidores e dos governos, pois a propagação desse vírus causa impactos nas cadeias globais de suprimentos, nos lucros de diversas empresas e diminui o crescimento da economia mundial.

Apesar do maior número de casos confirmados e os principais impactos ainda estejam concentrados na China, a epidemia vem se espalhando por diversos países, já são mais de 40 países de todos os continentes. O que atinge deste a produção ao consumidor final.

Os principais impactos e consequências do avanço do vírus na economia global e do Brasil:

O coronavírus tem causado uma grande perda para a economia chinesa, pois tem fechado fábricas e centros comerciais, colocado regiões inteiras em quarentena e deixado muitos cidadãos isolados em suas casas por medo de ser contaminado, o que diminui a atividade econômica do local.

Até as regiões que não estão em quarentena, mas possuem suspeitas de contaminação têm levado ao fechamento total de algumas indústrias até que se seja descarta a suspeita.

Na China, até a produção de mel foi afetada, que é considerada a maior produtora mundial de mel.

Outros países:

Apesar da China, os países mais impactados até o momento são Coreia do Sul, Itália, Irã e Japão, com fechamento de lojas, prateleiras de supermercados vazias, interrupção de serviços de transportes e paralisação de diversas atividades. E viagens aéreas internacionais têm sido canceladas no mundo todo.

No Japão, todas as escolas de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio foram orientadas a ficar fechadas até o fim das férias da primavera em abril para ajudar a conter o surto. E, os parques da Disney em Tóquio anunciou que ficará fechado por duas semanas.

Na Suíça, a organização do Salão de Genebra 2020 cancelou o evento que aconteceria entre os dias 5 e 15 de março.

Dados da economia global

Ainda é difícil estimar a magnitude do choque na economia, já é praticamente consenso que a economia global e o PIB (Produto Interno Bruto) da China deverão crescer menos que o esperado em neste ano (2020).

O Fundo Monetário Internacional (FMI), que já alertava para um ritmo de recuperação mais lento em 2020, estima que a epidemia de coronavírus deverá reduzir o crescimento econômico mundial em até 0,1 ponto percentual.

A projeção do FMI é de uma taxa de crescimento de 5,6% para a China em 2020, 0,4 ponto a menos do que as estimativas de janeiro. Em 2019, o PIB chinês desacelerou para 6,1%, o menor crescimento em 29 anos.

É válido lembrar que a China é a segunda maior economia do mundo, com uma participação no PIB global da ordem de 16%.

Cadeias integradas

O impacto do coronavírus na produção manufatureira chinesa, que se refere ao uso de ferramentas e do trabalho para produzir bens para serem usados ou comercializados, também traz consequências para os principais parceiros comerciais chineses e para as cadeias globais de suprimentos.

As exportações chinesas de bens intermediários no segmento eletroeletrônico respondem por mais de 10% da produção global desses produtos.

De acordo com um relatório da Trendforce, empresa chinesa de análise de cadeia de suprimento, a produção de smartphones no primeiro trimestre de 2020 pode cair 12% se comparada ao mesmo período em 2019.

Caso seja confirmada a previsão, essa seria a pior produção para o primeiro trimestre em 5 anos. Outros tipos de dispositivos, como monitores, TVs e notebooks também devem ter redução de milhões de unidades na produção, de acordo com a consultoria.

Impacto do PIB no Brasil

O mercado brasileiro não está de fora dos impactos causados pelo surto, é evidente que o coronavírus está afetando também o crescimento da economia brasileira em 2020.

O mercado brasileiro reduziu para 2,20% a previsão a alta do PIB em 2020, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central, mas diversos bancos e consultorias já estimam um crescimento abaixo de 2%.

Revisões para baixo no PIB chinês geralmente afetam também o Brasil. Além de importante comprador de commodities brasileiras como minério de ferro e soja, o país asiático também tem papel relevante como fornecedor para a indústria local, especialmente a de produtos eletroeletrônicos. E já há relatos de de falta de peças para a montagem de produtos, em razão da interrupção da produção e redução dos estoques na China.

É válido lembrar que, com o surgimento do surto no Brasil, teve um aumento nos preços de produtos que são usados para se prevenir, como máscaras e álcool em gel.

Tags
Exibir Mais

Edinaele Santos

Jornalista e Produtora, 22. Além de registrar fatos, o jornalismo escreve histórias que serão contadas por gerações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar