Foto: Reprodução Internet

O ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), comentou em suas redes sociais, nesta quinta-feira (29), o pedido de sua convocação à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19, feito pelo senador Eduardo Girão (Podemos/CE).

Roberto Cláudio disse que ficou surpreso com o “intempestivo proativismo” de Girão em relação à pandemia. De acordo com o pedetista, em todo o período que esteve à frente do combate à pandemia em Fortaleza, não recebeu uma ligação de solidariedade ou oferta de apoio por parte do senador.

“Não houve qualquer mobilização política por parte do senador Girão em apoio às medidas locais de isolamento social, à aquisição de insumos médicos ou ao trabalho de assistência aos nossos doentes fortalezenses, nem mesmo para viabilizar vacinas ao Ceará”, disse RC.

O ex-prefeito destacou a “postura de absoluta omissão” de Eduardo Girão e fez questão de lembrar dos outros dois senadores cearenses, Cid Gomes e Tasso Jereissati, que teriam o procurado e oferecido apoio.

“Concretamente não “mexeu uma palha”, como dizemos na nossa terra”, afirmou. “Agora, aparece como bajulador do Governo Bolsonaro, tentando obstruir de todo jeito a investigação sobre as ações e omissões do governo federal, protegendo os absurdos erros cometidos, o que tem custado a vida de mais de 400 mil brasileiros”.

O ex prefeito de Fortaleza se colocou à disposição para prestar contas e “relatar tudo que foi feito e como foi realizado”.

“Quem não deve, não teme! Não parece ser esse o lema praticado pelo Senador Girão e sua turma”, concluiu o ex-prefeito de Fortaleza.