Brasília- DF. 09-10-2019- Ministro Ricardo Salles na rCOMISSÃO DE MEIO AMBIENTE E DES. SUSTENTÁVELrESCLARECIMENTOS DOS NÚMEROS CRESCENTES DE DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA. Foto Lula Marques

O advogado Ricardo Salles pediu demissão do cargo de ministro do Meio Ambiente, ao presidente Jair Bolsonaro, ele ocupava a função desde o início do atual governo, em janeiro de 2019.

Salles teve uma gestão marcada por tensões com parlamentares, organizações não-governamentais e países estrangeiros. O ministro também enfrenta um processo contra o Supremo Tribunal Federal (STF), no qual é acusado de ter relação com esquema de desvio de madeira ilegal.

Em seu discurso, disse que cumpriu, ao longo de 2 anos e meio, as orientações do presidente Jair Bolsonaro. “Procurando colocar em prática, a orientação que foi colocada pelo senhor presidente da República Jair Bolsonaro desde o primeiro dia de governo. Orientação essa que foi de equilíbrio entre desenvolvimento econômico e preservação do Meio Ambiente”.

A saída do ministro foi oficializada em edição extra do Diário Oficial da União, e conteve a nomeação do novo ministro do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite. Ele já atuava na pasta, como secretário da Amazônia e Serviços Ambientais, ele teve sua chegada ao governo no decorrer da gestão de Ricardo Salles.

De acordo com currículo oficial do novo ministro, ele iniciou a sua carreira profissional como produtor de café, e foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira (SRB) por 23 anos, entre 1996 e 2019.

Durante o governo Bolsonaro, iniciou a trajetória como diretor do Departamento Florestal, e exerceu o posto entre julho de 2019 e abril de 2020, sendo responsável pelo combate ao desmatamento ilegal.