Foto: Divulgação

Jovens da região de Icapuí, no Ceará, que participam do Programa Jovem Cientista, têm a oportunidade de se aproximarem do meio científico com práticas de pesquisa, apoio às políticas públicas e educação ambiental. Trata-se de uma ação que faz parte do Projeto Aves Migratórias do Nordeste (PAMN), iniciativa patrocinada pela Petrobras e desenvolvida pela Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos – Aquasis, que atua no monitoramento e preservação de aves migratórias costeiras e residentes ao longo da rota do Atlântico Ocidental.

O Programa, de um ano de duração, é direcionado a jovens entre 14 e 16 anos que estejam cursando o ensino médio residentes em Icapuí, selecionados para atuarem em turnos alternados ao horário escolar. Com autorização dos pais ou responsáveis, os jovens participam de diversas atividades de oficinas educativas, trilhas interpretativas e observação de aves e ações de arte-educação, tudo com acompanhamento periódico do rendimento escolar, requisito fundamental para participar do programa. O PAMN prestigia cada um dos participantes com bolsa-auxílio, a fim de evitar a evasão escolar.

A ideia é fornecer ferramentas para estes adolescentes utilizarem no futuro, em outros projetos de conservação ambiental e turismo ecológico. Além disso, visa a desenvolver noções de cidadania, incentivar o trabalho em grupo por meio do cooperativismo, formar consciência crítica sobre o cuidado com o meio ambiente e preservação da cultura local, apoiar a iniciação científica e projetos de intervenção na comunidade.

O projeto Aves Migratória do Nordeste é um dos 11 projetos da linha de Oceanos do Programa Petrobras Socioambiental, que investiu 89 milhões de reais em 2020. “Acreditamos que as parcerias com organizações como a Aquasis, o diálogo com as comunidades, a inclusão de jovens e crianças e ações de educação e produção de conhecimento é uma energia que transforma a vida desses jovens e contribui para a conservação da biodiversidade, tão importante para nós”, afirma Katia Ferreira, gerente de Projetos Ambientais da Petrobras. O Programa apoia iniciativas voltadas para a geração de emprego e renda; o preparo para o exercício da cidadania; o atendimento de crianças e adolescentes; a conservação da biodiversidade costeira e marinha; e a recuperação de florestas e áreas naturais, entre outras.

O PAMN concentra seus esforços ao longo da costa do Ceará e em parte da zona costeira do Rio Grande do Norte em pelo menos 14 municípios costeiros. O projeto tem ênfase especial em cinco espécies de aves ameaçadas de extinção do Brasil: maçarico-de-papo-vermelho, maçarico-de-costas-brancas, maçarico-rasteirinho, batuíra-bicuda e trinta-réis-róseo. Os jovens também acompanham o trabalho de campo junto aos pesquisadores e, de acordo com sua afinidade, podem desenvolver um projeto relacionado a pesquisa, apoio às políticas públicas ou educação ambiental. Para mais informações, os interessados devem fazer contato pelo e-mail: faleconosco@aquasis.org.