O corpo da mulher cearense assassinada no estado de Goiás permanece no estado, enquanto a família toma providências na tentativa de trazê-lo para sepultá-la em sua terra natal, a cidade de Sobral, na zona Norte do Ceará (a 224Km de Fortaleza). Enquanto isso, o suspeito permanece foragido. As autoridades policiais de Goiânia seguem com as investigações.

A professora Aila Pinto Cardoso, 34 anos, natural de Sobral, foi assassinada a golpes de faca na cidade de Anápolis (a 48Km de Goiânia) na noite de terça-feira (16). O principal suspeito do crime é o namorado dela, o também cearense de Sobral, Rafael Andrade, que trabalha como cozinheiro, após ter confessado o crime através de uma rede social.

Em um post no perfil do facebook, há uma mensagem dizendo: “Finada Aila q Deus a utenia em um bom lugar”. Em seguida, outro texto: “Amém vc sabe quem matou?” e logo após finaliza com mais um comentário: “Eu mesmo numa discussão”.

 

Segundo apurou a Polícia, o casal se conheceu através da internet. Rafael convidou a namorada conterrânea para ir morar com ele em Anápolis. A mulher se deixou envolver pelo cozinheiro e seguiu para Goiás há cerca de 15 dias.

No entanto, os dois passaram a se desentender na última semana, e na segunda-feira (15), Aila chegou a se comunicar com a família, afirmando que preferiria morar sozinha e que estaria voltando para Sobral ainda nesta quarta-feira (17). Disse também que o namorado havia lhe agredido e roubado seu celular e o dinheiro que ela juntou para custear a viagem de volta ao Ceará. No dia seguinte, o corpo de Aila foi encontrado com marcas de violência no apartamento. A Polícia foi chamada e a família da cearense comunicada do fato.

“Ela era tudo, ajudava com tudo, era alegre, divertida, gostava de crianças, adorava viajar e tinha o sonho de ser mãe”, fala Maria, mãe de Aila em entrevista. “Só quero justiça, quero ele na cadeia, quero que pague pelo o que ele fez”, diz a mãe muito abalada. Concluiu.

 

Com informações do Diário do Nordeste
Foto: Reprodução