Principais pontos do relatório final da CPI da Pandemia - Foto: Reprodução

O relatório final, com suas 1.180 páginas, apresentado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), recomenda o indiciamento de 66 pessoas físicas e duas pessoas jurídicas. Esses indiciamentos têm relação com o negacionismo em relação ao vírus e às vacinas, que teria aumentado o número de mortos no Brasil; com as suspeitas de corrupção nas negociações para a compra de vacinas pelo Ministério da Saúde; e com as mortes que teriam sido provocadas pelo uso de tratamentos sem respaldo científico contra a covid-19.

A CPI da Covid, no relatório, propôs vários encaminhamentos aos órgãos competentes para dar prosseguimento às investigações, o que pode levar a novas responsabilização, nas esferas civil, criminal e administrativa. O relatório e os documentos relevantes da investigação serão compartilhados “com as autoridades responsáveis pela persecução criminal”, segundo o texto apresentado. Por ter ocorrido a caracterização de crimes contra a humanidade, os documentos também serão remetidos ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, nos Países Baixos.

Em resumo, os indiciamentos propostos foram contra:

Presidente da República
Ministros e ex-ministros
Assessores e ex-assessores
Ministério da Saúde
Parlamentares
Gabinete Paralelo
Fake News
Caso Davati
Caso Covaxin
Prevent Senior