Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (28) foi comemorado o dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ e no mesmo dia em Porto Alegre protocolou um projeto de lei que cria o relatório situacional para composição de banco de dados qualitativo e quantitativo da população LGBTQIA+. A proposta foi feita pela primeira bancada que conta com cinco vereadores integrantes da causa.

Quem compõe a bancada são, a vereadora Daiana Santos (PCdoB), Andrea da Mata (Solidariedade), Giovani Culau (PCdoB), Natasha Ferreira (PSOL) e Ton Falcão (PT).

O pedido tem como uma das principais medidas a necessidade que a constituição de políticas públicas municipais que mapeiem e detalhe a população LGBTQIA+ para um efetivo enfrentamento da violência contra a comunidade.

“Necessita-se do comprometimento de nosso Município na construção de políticas públicas desde à prevenção, com campanhas de conscientização sobre as diversas formas de violência, suas causas e direitos das pessoas LGBTQIA+, a inclusão deste debate nos sistemas de saúde e de educação e formação dos profissionais dessas áreas, até a valorização de políticas públicas de assistência e proteção às PESSOAS lgbtqia+ em situação de violência”, diz um trecho do pedido.

“Para um melhor planejamento das políticas públicas municipais, bem como ações de outros setores da sociedade no enfrentamento da violência contra as pessoas LGBTQIA+, é preciso a sistematização e análise dos dados sobre elas, de forma a viabilizar a magnitude da violência vivenciada por pessoas LGBTQIA+ na cidade de Porto Alegre”.

A proposta redigida pelo Partido Liberal (PL), tem como objetivo criar estatísticas periódicas sobre violência contra as pessoas LGTQIA+ para financiar a construção de políticas públicas intersetoriais e eficazes de acolhimento e proteção às pessoas em situação de violência.