Londres (AFP) – Shukria Barakzai, uma deputada afegã e ex-embaixadora na Noruega, agradeceu emocionada, nesta terça-feira (19), a um deputado britânico por tê-la ajudado a fugir dos talibãs, e pediu ao Reino Unido que faça mais por seus compatriotas.Durante uma sessão no Parlamento britânico sobre a rápida tomada do poder pelo movimento islamista, Barakzai explicou que temeu por sua vida quando os talibãs invadiram Cabul em agosto.A deputada, que também é ativista pelos direitos das mulheres e sobreviveu a uma tentativa de assassinato em 2014, foi evacuada pelo Reino Unido quando os talibãs a procuravam e saqueavam sua casa.”Você salvou minha vida”, disse, com a mão sobre o peito, para Tom Tugendhat, presidente da comissão de Relações Exteriores e ex-oficial do Exército britânico que serviu no Afeganistão. Assim como ele, muitos deputados intervieram ante o governo britânico após terem sido contactados diretamente por afegãos.”É um enorme privilégio ter você aqui e estou muito agradecido de ter conseguido desempenhar um pequeno papel para fazer com que você estivesse aqui”, respondeu o parlamentar.Barakzai e outra ativista, Shaharzad Akbar, pediram ao Reino Unido e ao Ocidente que ajudem os afegãos que podem ser alvo de represálias dos talibãs.Akbar, que presidia a Comissão Independente de Direitos Humanos no Afeganistão, explicou que, entre os 392 integrantes deste órgão, apenas seis receberam um visto do governo britânico e somente dois deles conseguiram chegar ao Reino Unido.”Na minha experiência, alguns pequenos países de Europa fizeram mais”, declarou Akbar por vídeo da Turquia, onde vive como refugiada.O Reino Unido retirou mais de 15.000 pessoas durante a ponte aérea de Cabul nas duas semanas posteriores ao retorno dos talibãs ao poder em meados de agosto.