O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, informou nesta terça-feira (2) que a Polícia Federal vai investigar o vazamento de informações pessoais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), seus familiares e outras autoridades pelo grupo de hackers Anonymous.

Uma das contas do Twitter que supostamente pertence ao grupo foi suspensa por causa da ação.

Também pelo Twitter, o presidente presidente Bolsonaro disse que a ação dos hackers foi uma medida de intimidação e não passará impune.

O grupo de hackers Anonymous surgiu em 2003. Desde então, se espalhou pelo mundo, com células em vários países, incluindo o Brasil. Eles não tem uma hierarquia.

Qualquer pessoa que concorda com as ideias propagadas pelo grupo e consiga invadir redes privadas pode vazar informações de forma anônima.

Na noite de segunda-feira (1°), o grupo expôs dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro e de seus filhos, como CPFs, telefones, endereços e dados sobre imóveis da família Bolsonaro.

Outros alvos foram os ministros da Educação, Abraham Weintraub, e da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

Leia também:

Foto: AFP