PIS e Cofins: Especialista dá dicas para gerir tributos | Foto: Divulgação

ISS, ICMS, PIS, Cofins. São muitas as siglas dos impostos no Brasil. Os empreendedores têm dúvidas surgindo o tempo inteiro em meio a tantas nomenclaturas, dentre elas, o que é Pis e a Cofins e como os gerir. “Bom, primeiro, a gente precisa explicar sobre a alíquota que, para o PIS, é em regra de 0,65% (regime cumulativo) e de 1,65%, (regime não cumulativo), enquanto a da Cofins é 3,0% (regime cumulativo) de 7,6% (regime não cumulativo. Os percentuais de aplicação vão variar e dependem da maneira que a apuração das contribuições será feita”, explica o consultor tributário J. S. dos Santos, que atua há 20 anos em consultoria tributária federal.

No entanto, é importante que se compreenda que são dois tributos diferentes, mas que andam lado-a-lado, pois ambos são destinados ao financiamento da seguridade social. Tanto o Pis, quanto o Cofins, são de âmbito da União, por isso, não são compartilhados com estados e municípios.

Os tributos têm recolhimento mensal e incidem sobre o total das receitas do contribuinte, com algumas deduções. Mas as dúvidas não se restringem só ao conceitual, os empreendedores querem saber como gerir esses tributos. Para tanto, o consultor dá algumas dicas que podem ajudar o empreendedor a destravar essa questão.

A tecnologia também pode ajudar nesse procedimento de gerir o PIS Cofins, já que existem diversas ferramentas on-line que facilitam o(a) empreendedor(a) a controlar e pagar esses tributos federais. “Essas ferramentas são uma mão na roda e facilitam que a pessoa que não tem conhecimento acerca de impostos fique por dentro do assunto”. E ainda acrescenta, “também é recomendável que se tenha uma pessoa especializada em tributação para ajudar no desenvolvimento”.

Dicas para gerir tributos

1. Planejamento tributário: não espere pela última hora para começar organizar a papelada para o Fisco ou cálculos sobre a receita. Um bom planejamento evitará erros de cálculos e maiores dores de cabeça. Aposte, por exemplo, em direcionar impostos para determinados projetos e economizar em divulgação.

2. Auditorias: fundamental para estar em dias com o Fisco é estar em dias com a saúde tributária da sua empresa. Com números e mais números, cálculos e mais cálculos e, principalmente, pouco tempo para prestar contas a depender da situação. Uma solução é contratar uma auditoria fiscal: com ela, é possível identificar erros e corrigir procedimentos que podem levar a problemas com o fisco. Por conseguinte, o negócio terá maior rentabilidade.

3. Benefícios de crédito fiscais: a depender do tributo, sua empresa pode contar com restituições e até mesmo facilidades na compensação de créditos para ampliar seu negócio. Fique atento a esses benefícios, em especial no PIS e na COFINS

4. Atualização de registros: mantenha sempre a documentação atualizada e em dias. Um profissional contábil pode ajudar nisso e assim o seu negócio permanecer em conformidade com a legislação, evitando multas e gerando créditos.

5. Escolha de um bom profissional: essencial quando se trata de pagar impostos e entender o que se está pagando, Santos afirma que “muitos nem sabem da complexidade do PIS e da Cofins e acabam duplicando pagamento ou mesmo deixando de pagar. Por isso, é recomendável um consultor tributário para ajudar nesse processo”, finaliza as dicas.

 

 

O acompanhamento de uma consultoria tributária é fundamental quando o assunto é assegurar redução de impostos e garantir segurança nos negócios, aconselha Santos. “Esses profissionais trabalham justamente com a viabilização de ideias por meio da gestão de impostos, garantindo mais lucratividade com essa proteção legal”, conclui.