Beirute (AFP) – O Parlamento do Líbano aprovou nesta segunda-feira (20) o novo governo, liderado pelo primeiro-ministro, Najib Mikati, cuja principal missão será resolver a crise na qual o país está mergulhado.Depois de examinar o plano do governo em uma sessão de oito horas, 85 deputados outorgaram sua confiança ao gabinete e 15 votaram contra, de acordo com a contagem do presidente do Parlamento, Nabih Berri.O governo de 24 membros chefiado por Mikati, um dos homens mais ricos do país, foi formado em 10 de setembro, após 13 meses de vazio político. O Líbano estava sem governo desde que Hasan Diab renunciou, após a explosão no porto de Beirute em 4 de agosto de 2020. Isso agravou a crise econômica doméstica, que, segundo o Banco Mundial, é uma das piores do mundo desde 1850.A reunião do Parlamento foi atrasada em uma hora devido a um corte de energia elétrica, disse à AFP seu secretário-geral, Adnan Daher. “É vergonhoso (…) Isso não é um país”, criticou o deputado Teymur Jumblatt a um jornalista, enquanto o chefe do Parlamento pedia ao primeiro-ministro que se apressasse, com medo de outro corte. Nos últimos meses, ocorreram quedas de energia de até 22 horas por dia em algumas regiões do país. Grande parte da população acusa os políticos, considerados corruptos e incompetentes, de serem a origem do colapso financeiro do Líbano.