Papa Francisco deixa o Iraque após visita histórica sem incidentes | Foto: AFP

O papa Francisco deixou o Iraque nesta segunda-feira, após a primeira visita na história de um sumo pontífice a este país, abalado por anos de violência, uma viagem na qual ele defendeu a causa da comunidade cristã iraquiana.

A visita do papa de 84 anos, que chegou ao Iraque na sexta-feira, aconteceu sem incidentes.

Durante sua estadia, Francisco visitou a capital Bagdá, assim como Mossul e Qaraqosh, duas cidades do norte do país que foram vítimas do terror dos extremistas do grupo Estado Islâmico (EI).

Na cidade sagrada de Najaf (sul), o papa se reuniu com o grande aiatolá Ali Sistani, uma referência religiosa para a maioria dos muçulmanos xiitas do mundo.

“O Iraque sempre permanecerá comigo, em meu coração”, disse Francisco no domingo à noite, após uma missão em um estádio em Erbil, no Curdistão iraquiano.

O papa estava ansioso para conhecer os cristãos do Iraque (1% da população atualmente, contra 6% há 20 anos) e dedicou a este país de maioria muçulmana sua primeira viagem ao exterior em 15 meses.

Devido à pandemia de covid-19, com exceção da missa de domingo em Erbil, o pontífice não teve encontros com multidões, algo comum em suas viagens ao exterior.

Foto: AFP