Nações Unidas (Estados Unidos) (AFP) – O Conselho de Segurança das Nações Unidas estendeu nesta sexta-feira (15) a missão da ONU no Haiti por nove meses, depois que a China e as potências ocidentais chegaram a um acordo de última hora.O Conselho aprovou por unanimidade uma resolução ampliando o mandato por menos tempo do que Washington esperava, um ano, mas mais do que os seis meses que Pequim queria.A votação ocorreu pouco depois das 22h GMT, horas antes de expirar a missão política, agora estendida até 15 de julho de 2022, em um país mergulhado em uma crise que se agravou com o assassinato do presidente Jovenel Moise em julho.Pequim deixou claro que vetaria a prorrogação do mandato por um ano. O acordo de nove meses inclui uma avaliação do secretário-geral da ONU após seis meses.O Escritório Integrado das Nações Unidas no Haiti (BINUH) foi criado em outubro de 2019, após o fim de 15 anos de operações de manutenção da ordem da ONU, e tem sido objeto de atrito entre Washington e Pequim.Seu mandato inclui fortalecer a estabilidade política e a governança na ilha, com forte influência dos EUA. Segundo diplomatas, a China quer punir o Haiti por reconhecer Taiwan.No início do mês, o Conselho de Segurança concordou em adiar as eleições no Haiti até o segundo semestre de 2022.