Wellington (AFP) – A Nova Zelândia estabeleceu nesta sexta-feira (21) que quando alcançar o marco de 90% da população vacinada irá abrir mão dos confinamentos que tem usado para enfrentar a pandemia de covid-19, ainda em expansão no país devido a um surto da variante delta.Atualmente, 86% dos neozelandeses do grupo elegível para ser vacinado receberam pelo menos uma dose e 68%, o esquema completo.A primeira-ministra Jacinda Ardern também indicou que as pessoas já totalmente vacinadas não precisarão mais se submeter a confinamentos domiciliares nem fechamento de comércios.”Não podemos pedir às pessoas vacinadas que fiquem em casa para sempre”, disse ela a repórteres.A nova medida trará alívio aos quase dois milhões de moradores da cidade de Auckland, que estão em uma quarentena rigorosa há nove semanas.O governo da Nova Zelândia optou por uma política de eliminação total da covid-19, com fechamentos de fronteiras e severos confinamentos desde a detecção das primeiras infecções, o que permitiu que apenas 28 mortes pela doença fossem registradas e que seus cinco milhões de habitantes levassem uma vida quase normal.A primeira-ministra destacou que essa estratégia não é mais viável devido à entrada da contagiosa variante delta em agosto. Agora, aposta em minimizar sua expansão com o impulsionamento da vacinação.