Foto/Reprodução: Internet

Na última segunda-feira, 1° de fevereiro, durante a abertura dos trabalhos da Câmara, o prefeito de Fortaleza Sarto Nogueira anunciou um programa de microcrédito direcionado a mulheres.

De acordo com o Chefe Executivo do município, o programa irá incentivar que elas, prioritariamente as chefes de família, abram ou prossigam com seus negócios ou atuação como autônomas. Também serão oferecidos cursos de capacitação para desenvolvimento de plano de negócios e prestação de conta

No ‘Nossas Guerreiras’, cada mulher poderá ter acesso a um crédito de até R$ 3 mil, que serão pagos sem juros em até 30 meses, após carência de seis meses.

“O programa será para capacitação de mulheres que fiquem em casa, perto dos filhos, para que possam fazer o carrinho de cachorro-quente, o curso de bolo e doces, para ter uma renda extra, para que a economia seja melhorada e o dinheiro circule na comunidade”, disse Sarto em vídeo.

O prefeito de Fortaleza ainda afirmou que o governador Camilo Santana deu garantia da pauta e que o grupo municipal e estadual se reuniram duas vezes para tratar do assunto. “Em breve, devo estar enviando projeto que trata dessa questão do desenvolvimento econômico”, acrescentou.

Sobre as inscrições no Programa

Segundo estimativa do secretário municipal do Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Nogueira, o ‘Nossas Guerreiras’, da Prefeitura de Fortaleza, deverá começar a receber inscrições ainda no primeiro trimestre deste ano.

O Secretário ainda detalha que o cadastro será realizado de forma online, mas a pasta também estuda disponibilizar alguns pontos de atendimento físicos para quem não tem acesso à internet.

“Desde a pandemia, ficou mais complicado realizar esse tipo de atendimento presencialmente. Mas estamos estudando alguns pontos e como faríamos isso sem gerar aglomerações”, aponta.

Como deverão começar?

Após realizadas as inscrições, as empreendedoras terão uma espécie de capacitação e orientação para montar o plano de negócios, que será analisado pela secretaria. Os que forem considerados melhores e mais viáveis serão financiados. 

“Além do plano de negócios, também vamos levar em consideração o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do bairro em que elas moram. Quanto menor o IDH, maior a pontuação”, ressaltou Rodrigo Nogueira.

As participantes também deverão ser assistidas durante um ou dois anos com consultoria contábil e jurídica mensalmente. Esse tipo de acompanhamento já é praticado em outros programas de microcrédito da Prefeitura, como o Mulheres Empreendedoras.

Nogueira rememora que, embora tenha orçamento suficiente apenas para 20 mil beneficiadas, um número bem maior de mulheres receberão a capacitação, já que todas as participantes serão orientadas para desenvolver seu plano de negócios.