Foto: Reprodução G1 CE

Neste domingo (11) o Ministério Público do Ceará (MPCE) pediu a prisão preventiva dos dois policiais militares envolvidos na ação que deixou três pessoas baleadas na última sexta-feira (9), dentre elas uma criança de 10 anos, em uma abordagem policial na cidade de Hidrolândia, no interior do Ceará. Cinco pessoas estavam no carro fazendo passeio pela cidade.

Os policiais envolvidos na ação foram ouvidos pelo comando do batalhão ao qual são subordinados e tiveram as armas de fogo recolhidas para envio à Perícia Forense.

Em entrevista à TV Verdes Mares na manhã desta segunda-feira (12), emocionada, Amanda Carneiro, uma das passageiras do veículo atingido pelos tiros, relatou como se deu a ação.

Na manhã desta segunda-feira (12) Amanda Carneiro, fez uma entrevista a TV Verdes Mares, ela estava no veículo atingido pelos tiros e relatou como aconteceu a ação.

Ela afirma que estava no carro com o namorado, Pedro Henrique, com o irmão (criança de 10 anos), e com um casal de amigos. Eles pararam o veículo e brincaram de soltar bombas de São João em um campo. Conforme a Secretaria da Segurança do Ceará, os policiais foram informados de que se tratava de criminosos que dispararam tiros de um carro escuro.

De acordo com o promotor de Justiça Militar, Sebastião Brasilino, “o caso é de nítido clamor público, o que resvala na própria necessidade de ser imprimida na ordem pública instrumentos eficientes para restaurar a paz social, que restou evidentemente abalada naquela cidade do nosso sertão cearense.”

O MPCE encaminhou um e-mail para a Vara Única da Justiça Militar do Ceará, as mídias que tiveram acesso sobre o estado de saúde em que as vítimas ficaram, em um vídeo gravado dentro de um hospital. O vídeo mostra as crianças feridas no hospital e uma mulher questionando a ação policial. ‘Estavam atirando sem motivo nenhum’, disse.

O órgão ministerial solicitou ao comando-geral da Polícia Militar do Ceará a “imediata instauração de inquérito policial militar, que é de ser feito, pelas regras processuais, por oficial encarregado vinculado à unidade em que os militares servem”.

Estado das vítimas 

Um dos jovens de 22 anos, foi atingido por tiros na coluna e no joelho. A outra vítima foi baleada na cabeça e na coxa, segundo sua família, ele perdeu a visão de um dos olhos, por conta dos disparos.

A criança levou um tiro no pescoço e, até a noite deste sábado (10), estava com a bala alojada na região. O garoto foi transferido para o hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza.

No fim da tarde deste domingo (11), a Santa Casa de Sobral divulgou uma nota atualizando a situação de saúde dos dois jovens. A vítima de 22 anos passou por cirurgia para retirada do projétil na região vertebral, já Pedro Henrique, de 21 anos, passou por procedimento de enucleação da órbita direita devido o trauma ocular severo, ele está sendo acompanhado por neurocirurgiões.

Segundo a unidade hospitalar, o estado de saúde de ambos é estável, mas requer cuidados. Já em relação à criança de 10 anos, o IJF revelou que só pode passar informações sobre estado de saúde com autorização da família.