Foto: reprodução

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), entrou com uma Ação Civil Pública (ACP) na manhã desta segunda-feira (14), contra o Banco Bradesco. A ação ocorreu devido a registros de descumprimentos das medidas sanitárias de combate à pandemia, que ocorreu em uma das agências do banco em Tauá, que fica a 337 km de Fortaleza.

Houve o requerimento de uma condenação no valor de R$ 500 mil para Danos Morais Coletivos, além da implementação de Protocolo de Segurança em um prazo de até cinco dias, sob pena de multa no valor de R$ 10 mil por dia. Na ação, entre as medidas que estão incluídas no protocolo, está a garantia de acomodação digna durante o período de espera por atendimento, a organização das filas nas partes internas e externas da agência, dentre outras.

De acordo com o órgão ministerial, houve o registro de cenas de lotação, aglomeração e desrespeito às normas sanitárias durante a última terça-feira (08). Tais cenas foram caracterizadas pelo Ministério Público como “caóticas, dado o contexto de pandemia e luto para centenas de milhares de famílias brasileiras”.