Foto: Reprodução/TV TEM

A situação de abastecimento de oxigênio é considerada “crítica” em alguns estados brasileiros, devido ao aumento da demanda pelo produto em todo o país. O Ceará está entre eles, conforme alerta do Ministério da Saúde à Procuradoria-Geral da República. O insumo é fundamental para pacientes em estágio mais grave da Covid-19, que dificulta a respiração natural. 

Além do Ceará, Acre, Rondônia, Mato Grosso, Amapá e Rio Grande do Norte estão na mesma situação.

Segundo a Secretaria da Saúde do Ceará,  o estado tem fornecimento garantido  de oxigênio.  Conforma a Secretaria da Saúde, o abastecimento está garantido mesmo que a demanda pelo oxigênio hospitalar seja cinco vezes maior que o ocorrido durante o pico da pandemia em 2020, ocorrido no mês de março.

No entanto, municípios do estado já sofrem com a falta pontual do oxigênio hospitalar. No sábado, a cidade de Santana do Acaraú ficou sem o produto por algumas horas e recebeu socorro da cidade vizinha, Granja.

Município de Granja adquire cilindros de oxigênio e socorre cidade vizinha

A gestão estadual orientou que unidades de saúde que não são do estado fizessem planejamento similar. No caso dessas unidades de saúde sofrerem a falta de oxigênio, a Rede Sesa se dispõe a “colaborar com empréstimos, transferências de pacientes e ajustes na condução terapêutica para garantir o completo e adequado tratamento de toda a população cearense”.

Avanço da Covid-19 no Ceará

O mês de março de 2021 voltou a registrar picos nos casos de óbitos desde o início da pandemia, inclusive contabilizando os maiores números neste ano. No último dia sete, o Ceará registrou 82 óbitos causados pela doença, sendo o maior número desde 9 de junho de 2020, quando foram contabilizadas 89 mortes causadas por coronavírus.

As taxas de ocupação dos leitos de enfermaria e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Ceará também têm registrado crescimentos, principalmente em março. No dia 14, a ocupação dos leitos de UTI atingiu 93,72% — maior número disponível no IntegraSUS desde 29 de abril de 2020; já entre as enfermarias, a taxa de ocupação, no dia 20, foi de 81,8, maior registro da plataforma.

Devido ao avanço dos números de casos confirmados do vírus, e dos óbitos, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), decretou isolamento social rígido e fechamento de atividades não essenciais no estado até, pelo menos, o próximo dia 28.

Com informações do G1 Ceará