Panamá (AFP) – Mais de 50 migrantes morreram este ano no Panamá ao tentar atravessar a selva de Darien, na fronteira com a Colômbia, em sua busca desesperada por chegar aos Estados Unidos, informou nesta quarta-feira (6) uma instituição do Ministério Público panamenho.“O Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses do Panamá contabilizou em seus registros 53 casos de mortes de migrantes, em diferentes circunstâncias, ocorridas na província de Darien”, disse à AFP o diretor da instituição, José Vicente Pachar.Esse número supera os de anos anteriores, que ficavam em média entre 20 e 30. Inclusive, “é bem possível que a quantidade de mortos” cresça porque o fluxo de migrantes por Darien “tem aumentado”, alertou Pachar.O estreito de Darien, um corredor de 266 km de selva entre a Colômbia e o Panamá, se tornou uma rota de migração irregular que sai da América do Sul e busca cruzar a América Central e o México para chegar aos Estados Unidos.Em 2021, passaram por essa floresta virgem de 575 mil hectares mais de 70 mil migrantes, uma cifra quase equivalente à soma dos cinco anos anteriores.Eles são em sua maioria haitianos e cubanos, embora também haja asiáticos e africanos, que arriscam suas vidas em uma rota sem estradas, onde enfrentam grupos criminosos, animais selvagens – incluindo cobras venenosas – e rios caudalosos.Ainda que o número de migrantes que passaram pela selva panamenha tenha caído drasticamente durante os primeiros meses da pandemia, o fluxo voltou a aumentar.Em 24 de setembro, a Procuradoria do Panamá informou sobre a descoberta de dez corpos, entre eles os de duas crianças, presumivelmente migrantes haitianos que morreram durante sua jornada a pé por Darien.Na terça-feira, o Governo da Colômbia pediu ao Panamá que “facilite” a entrada em seu território de migrantes menores ou mulheres grávidas para que evitem a arriscada passagem clandestina por Darien.No município colombiano de Necoclí, noroeste do país, cerca de 20 mil migrantes, a maioria haitianos, estão esperando para embarcar com destino ao Panamá.