Foto: Siará News

O governador Camilo Santana (PT) anunciou no último domingo (4) que a retomada gradual das atividades não essenciais no Ceará começará a partir de 12 de abril. A decisão foi tomada após reunião com o comitê técnico científico do governo, autoridades sanitárias do estado e representantes do Ministério Público e setores da economia. O Ceará está em isolamento social rígido deste o dia 13 de março.

Segundo Camilo, durante esta semana haverá reuniões com representantes dos setores mais afetados pela suspensão de atividades econômicas, para elaborar de que forma vai ocorrer o retorno do funcionamento dos estabelecimentos e serviços.

“Estamos anunciamos o início da flexibilização das atividades não essenciais no Ceará a partir do dia 12 de abril. Estamos em uma tendência de redução de casos, de transmissão e de pressão assistencial no setor da saúde, porém com números ainda muito altos. Por isso durante a semana vamos abrir novos leitos, aumentar a capacidade de atendimento assistencial e sentar com os representantes dos setores econômicos para discutir o início da retomada das atividades não essenciais a partir da outra segunda-feira”.

O prefeito de Fortaleza, José Sarto Nogueira, corroborou as afirmações de Camilo. “Essa semana nós precisamos consolidar essa tendência de queda. Isso os profissionais da saúde que estão na linha de frente compreendem muito bem porque estes números são favoráveis, mas precisamos de uma margem de segurança”.

Na última quinta-feira (1º) o governador Camilo Santana anunciou, por meio de transmissão nas redes sociais, que a decisão ficou para este domingo de Páscoa. Na ocasião, Camilo informou que apesar da tendência de estabilização no número de casos de Covid-19 na última semana, preferiu-se aguardar os índices dos três dias seguintes para que houvesse uma definição sobre a manutenção do isolamento.

O Ceará está em decreto de isolamento social rígido desde 13 de março, quando o anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana. Fortaleza adotou medidas mais rígidas uma semana antes, em 4 de março. Durante esse período, ficou permitido apenas o funcionamento das atividades consideradas essenciais, como supermercados e farmácias.

Reunião do comitê

O governador revelou que durante o encontro de quinta-feira (1º) muitos pontos foram debatidos. “Tivemos uma longa reunião com todo o Comitê. Hoje foi um debate bastante profundo, rico, com os números, avaliações, dados dessa pandemia”, comentou Camilo, ainda que as autoridades tenham optado por adiar a decisão.

“Ainda é um momento muito delicado porque ainda há uma pressão enorme no sistema de saúde com a demanda por internamento dos casos de Covid, portanto, é um momento de muita responsabilidade. A decisão do Comitê foi adiar nossa reunião para domingo”, destacou Camilo.

“Vamos fazer uma nova reunião no domingo para avaliar os dados e números desta quinta-feira, da sexta-feira, e do sábado. Domingo de Páscoa, mas todo o Comitê vai estar reunido. Vamos ficar avaliando os números dos próximos dias para que a gente possa tomar uma decisão com muita responsabilidade e segurança, para que não haja retrocesso no Ceará”, complementou o governador do Ceará.

Atualmente, o Ceará enfrenta uma segunda onde de alta de casos e mortes desde o início da pandemia. O estado registrou 14.407 óbitos por Covid-19 e 552.009 casos da doença desde o início da transmissão da Covid-19 no estado, de acordo com informações da plataforma IntegraSUS, da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), atualizada às 9h deste domingo (4).

Com informações do G1 Ceará