Juventus pode ser excluída do Italiano se permanecer na Superliga | Foto: AFP

A Juventus de Turim, que ao lado de Real Madrid e Barcelona ainda defende o projeto da Superliga Europeia, não poderá participar do próximo Campeonato Italiano caso siga envolvida com este torneio independente criado para competir com a Liga dos Campeões, afirmou o presidente do Federação Italiana.

“Se a Juventus não respeitar as regras, também ficará fora da nossa competição. No momento da inscrição para o próximo Campeonato Italiano, estará excluída se não tiver abandonado a Superliga”, declarou à imprensa Gabriele Gravina, presidente da entidade que comanda o futebol da Itália.

No final de abril, em reação à tentativa de criação da Superliga, iniciativa que reuniu doze clubes europeus, três deles italianos, a federação havia adotado uma nova regra que permite que as equipes que se comprometam com um torneio independente sejam excluídas dos campeonatos nacionais.

Desde então, Inter e Milan, como sete outros clubes europeus, abandonaram o projeto e fecharam um acordo com a Uefa, que previa sanções financeiras.

Mas neste fim de semana, a Juve, como Real Madrid e Barcelona, mais uma vez defendeu a criação da nova competição, denunciando as “ameaças” da Uefa e mostrando-se pronta para uma batalha judicial.

Em entrevista à rádio Rai Uno, na manhã desta segunda, Gravina declarou que está disposto a servir de “mediador” neste conflito uma vez que este “atrito entre os clubes e a Uefa não faz bem ao futebol italiano e à Juventus”.

“Quero uma solução positiva para essa luta”, concluiu o dirigente.