Justiça Federal derruba decisão que obrigava teste negativo para Covid para desembarcar em aeroportos no Ceará | Foto: Pixabay

A Justiça Federal derrubou, nesta sexta-feira (13), uma decisão que limitava o embarque nos aeroportos do estado do Ceará para conter o avanço da Variante Delta do coronavírus. De acordo com a determinação da Justiça Federal no Ceará de 11 de agosto, para descer do avião, o passageiro deveria comprovar que estava imunizado contra a Covid-19 por meio da vacinação ou havia testado negativo para a doença nas 72 horas anteriores.

Nesta sexta-feira (13), o desembargador Edilson Pereira Nobre Júnior, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Recife, suspendeu a decisão. Com a nova determinação, os passageiros não são obrigados a testar negativo ou comprovar que estão vacinados para desembarcar de avião no Aeroporto de Fortaleza. A medida era válida para quem viajava

A decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região alega que “a medida de testagem obrigatória ou apresentação de comprovante de imunização completa para embarque em voos nacionais dirigidos ao Estado seria ineficaz, pois, além de inviável materialmente, não impediria que pessoas contaminadas embarcassem”.

A Justiça afirma também que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) dispõe sobre as medidas a serem adotadas nos aeroportos e aeronaves no âmbito da situação de emergência decorrente do novo coronavírus, dentre as quais o uso de máscaras e medidas de distanciamento.

O governador do Ceará Camilo Santana (PT) classificou a derrubada da decisão como “lamentável” e diz que irá recorrer. “Decisão lamentável. Nosso único objetivo tem sido preservar a vida dos cearenses e de quem nos visita. Essa é a nossa prioridade absoluta. O Estado do Ceará irá recorrer”, afirmou, em rede social.