EconomiaMundo Digital

Instabilidade no e-commerce: especialista tira dúvidas sobre um dos temas mais temidos da Black Friday

FC Nuvem, dá dicas para e-commerces se destacarem na data com ajuda de ações preventivas

As estatísticas da Black Friday no Brasil aumentam a cada edição do evento. Só no ano passado, as compras na data renderam 3,2 bilhões de reais ao varejo nacional, segundo dados da Ebit-Nielsen. Em 2020, mesmo com o cenário pandêmico, os números do e-commerce são animadores, já que a Ebit-Nielsen também apresentou um estudo, publicado em agosto, que apresenta: esse ano o setor faturou 38,8 bilhões até agosto.

A FC Nuvem – frente de Computação em Nuvem do Grupo FCamara – realizou um evento online com os especialistas Emerson Cardoso – CTO da empresa e Julio Quierati, especialista em TI para Black Fridays. Os executivos explicaram como lojistas podem se destacar na data, aplicando ações preventivas de TI para evitar instabilidades. A empresa já realizou grandes operações de Black Friday em grupos como Saraiva e Raia Drogasil.

Segundo Cardoso, para ter sucesso na data é preciso estabelecer metas. “Para ter uma boa TI, temos que entender quais são as expectativas do lojista. Se a ideia é ter 50% a mais de tráfego, então precisamos nos preparar para 70%. O sucesso vem da prevenção. Vale lembrar que a nuvem permite utilizar recursos de auto-scaling que ajusta automaticamente a capacidade para manter um desempenho constante e previsível e esse recurso permite que o lojista seja cobrado pelo real uso e consumo de recursos de seu ambiente”, explica o CTO.

Confira abaixo as dicas:

1 – Quais devem ser as preocupações do lojista no dia da Black Friday?

O CTO aconselha que as atenções do lojista devem estar voltadas para três tópicos:

Atualização do preço: Para ele, deve-se prestar muita atenção na atualização do preço promocional, pois ele deve ser alterado o quanto antes, para evitar que clientes acessem a plataforma e não vejam os descontos. 

Campanhas de venda: Posts nas redes sociais tem de ser feitos, além de uma mudança no visual do próprio site, com mudança do banner principal para algo que chame a atenção do consumidor, relacionado às ofertas ou ao evento em si.

Esquentar os cashs: Preparar as páginas principais de tráfego dos consumidores, para que eles tenham respostas rápidas do servidor e do sistema.

2 – Como manter a reputação do site para a data?

Emerson afirma que alguns cuidados são necessários para que o cliente sinta confiança na hora de efetuar a compra. Isso depende da reputação do site e da imagem da empresa. O CTO indica que o lojista mantenha o CNPJ da empresa sempre à vista em sua plataforma, para passar segurança ao consumidor. 

Além disso, aconselha a valorização dos certificados digitais de segurança e um serviço de SAC preparado para atender quaisquer dúvidas ou reclamações de seus usuários.

3 – O que fazer para o site não cair na na Black Friday?

Muitos sites acabam caindo durante a data. Emerson deu detalhes do porquê isso acontece: “um dos principais pontos é o volume subestimado de usuários.”

Baseando-se nessa dificuldade, ele dá a dica: simular números maiores. “Se o setor comercial informa que o número estimado é de 50.000 usuários, durante os testes nós vamos trabalhar com um número no mínimo 30% maior. Se o número vier maior, já estamos preparados para suportar sem nenhum problema”.

Foto: Reprodução/ Olhar Digital

Tags
Exibir Mais

Brenda Bezerra

Estudante de publicidade e propaganda, produtora de moda e criadora de conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar