Suva (Fiji) (AFP) – As Ilhas Fiji planejam a reabertura ao turismo internacional em novembro, em uma tentativa de reconstruir sua economia devastada pela pandemia, ao mesmo tempo que combate um surto da variante delta do coronavírus.”Nossa meta é liberar nosso país, e nossa economia, da estagnação da pandemia”, afirmou o primeiro-ministro Frank Bainimarama em um comunicado.Após a vacinação de 80% da população do arquipélago, que tem pouco menos de um milhão de habitantes, o país planeja permitir a entrada de visitantes de uma “lista verde” de locais sem a necessidade de quarentena.Atualmente, 66% da população adulta de Fiji está com a vacinação completa. Bainimarama espera que o país alcance a meta estabelecida até 1 de novembro.A lista verde de Fiji inclui a Austrália, Nova Zelândia, Japão, Canadá, Coreia do Sul, Singapura e partes dos Estados Unidos.Os visitantes deverão ter a vacinação completa e apresentar resultado negativo do exame de covid-19 antes da viagem.Após o desembarque em Fiji, estas pessoas terão que permanecer em áreas designadas onde todos os contatos, dos funcionários da recepção dos hotéis até os operadores de turismo, estarão vacinados.O turismo representa 40% da economia de Fiji, de acordo com o governo, e sua reabertura é considerada crucial para conter a crescente pobreza no país.Mas o ex-ministro da Saúde Neil Sharma advertiu que uma elevada taxa de vacinação não vai frear a propagação do vírus.Fiji permaneceu livre da transmissão comunitária do vírus durante um ano, até que em abril detectou um surto da variante delta.Este foco levou o país a registrar mais de 1.200 novos contágios por dia.No domingo, porém, o país registrou apenas 79 novos casos.