CoronavirusInternacionalNotícias

Hospitais parisienses se aproximam da saturação

Os hospitais de Paris poderão ter até 90% de seus leitos de terapia intensiva ocupados por pacientes com covid-19 na próxima semana – alertou seu diretor-geral, Martin Hirsch, enquanto a França enfrenta um forte aumento de infecções.

“É inevitável”, disse Hirsch, que é chefe de 39 hospitais de Paris e seus subúrbios, ao jornal “Le Parisien”.

“Por volta de 24 de outubro, haverá um mínimo de 800-1.000 pacientes com covid em terapia intensiva, o que representa entre 70% e 90% de nossa capacidade atual”, afirmou.

Essa perspectiva aumenta a pressão sobre o presidente Emmanuel Macron, que pode anunciar novas restrições na quarta-feira à noite (14) em um pronunciamento na televisão.

Macron se reuniu com os principais ministros nesta terça-feira para avaliar possíveis medidas para conter uma segunda onda de covid-19.

Em seu último grande pronunciamento, em julho, Macron ordenou que máscaras fossem usadas em todos os espaços públicos fechados do país. Desde então, o acessório de proteção também se tornou obrigatório nas ruas.

A mídia especula que as novas medidas podem incluir toques de recolher em Paris e em outras cidades, devido ao rápido aumento de casos que colocam os hospitais de volta à prova.

No sábado, o número de novas infecções aumentou em 26.896 em 24 horas, um recorde.

“A responsabilidade individual é de 50% nessa situação. Não teremos sucesso, se as pessoas não levarem a sério”, disse uma fonte do governo à AFP.

Em Paris e em outras cidades onde o vírus circula ativamente, bares e academias já foram fechados, e protocolos mais rígidos foram estabelecidos em restaurantes e shopping centers.

Na segunda-feira, o órgão nacional de saúde relatou 94 mortes nas últimas 24 horas e 171 novos pacientes em terapia intensiva. No total, 1.539 pessoas estão agora em cuidados intensivos em toda França, que tem uma capacidade total de cerca de 5.000 leitos.

No auge da crise, em abril passado, mais de 7.000 pacientes estavam em tratamento intensivo, alguns em hospitais militares de campanha de emergência.

Foto: AFP

Tags
Exibir Mais

Brenda Bezerra

Estudante de publicidade e propaganda, produtora de moda e criadora de conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar