Fundos Imobiliários - Foto: Pexels

No período em que o Brasil passou por sucessivos cortes na taxa básica de juros (Selic), o que reduziu a rentabilidade de grande parte dos investimentos em renda fixa, os fundos imobiliários (FIIs) se tornaram uma alternativa para investidores focados em renda. Desde 2017, o número de brasileiros que investem em FIIs cresceu mais de 10 vezes, passando de 121 mil para 1,5 milhão.

No entanto, o novo ciclo de alta dos juros impactou diretamente no preço das cotas dos fundos imobiliários, atingindo cerca de 90% dos atuais cotistas, que entraram justamente no momento de queda dos juros. Mas apesar da desvalorização dos ativos, investir em FIIs ainda é vantajoso para quem está focado na renda gerada pelo aluguel mensal.

“O investimento em fundos imobiliários é uma forma moderna e sofisticada de comprar imóveis para recebimento de aluguéis com mais eficiência”, diz Louise Porto Freire, head Ceará da VLG Investimentos, empresa de agentes autônomos credenciada à XP Investimentos.

“Durante a pandemia, os fundos imobiliários sofreram bastante, mas mesmo assim, os aluguéis pagos mensalmente mostraram ao investidor que, mesmo em momentos de baixa, se o foco são os aluguéis, que continuaram a cair na conta mês a mês, esse investimento vale a pena”, diz Louise.

Para Louise, no momento há muitas oportunidades em fundos imobiliários, uma vez que muitos sofreram desvalorização das cotas mas mantiveram o pagamento dos aluguéis. “Para quem já possui ativos é interessante reinvestir os aluguéis e analisar cada ativo segundo as variáveis mencionadas”, diz Louise.