Paris (AFP) – A França chamou a consultas seus embaixadores em Estados Unidos e Austrália após o anúncio de associação estratégica entre Washington, Londres e Canberra, que levou ao cancelamento pela Austrália de um importante contrato de compra de submarinos franceses, anunciou nesta sexta-feira (17) o ministro das Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian.”A pedido do presidente da República, decidi chamar imediatamente para consultas nossos dois embaixadores nos Estados Unidos e na Austrália”, declarou em um comunicado. “Esta decisão excepcional se justifica pela gravidade excepcional dos anúncios realizados em 15 de setembro por Austrália e Estados Unidos”, acrescentou.Esta é a primeira vez que uma decisão deste tipo é tomada com estes países, especialmente os Estados Unidos, aliados históricos da França.Desde o anúncio na quarta-feira de que esta aliança de segurança, denominada Aukus, e o cancelamento pela Austrália do contrato para fornecer doze submarinos convencionais, a França mostrou-se incomodada com os Estados Unidos e a Austrália.Na quinta-feira, Jean-Yves Le Drian denunciou uma “punhalada pelas costas” de parte da Austrália e uma decisão “brutal” do presidente americano, Joe Biden.A França também cancelou um evento previsto para esta sexta-feira para comemorar o aniversário da batalha de Chesapeake Bay, decisiva na guerra da Independência dos Estados Unidos, que terminou com a vitória da frota francesa sobre a britânica em 5 de setembro de 1781.