InovaçãoMarketing DigitalMundo Digital

Força de marketing e vendas motiva retomada do otimismo

Confiança permanece em terreno negativo, mas com sinais robustos de melhora na recuperação das expectativas mais otimistas em relação à empresa e do próprio negócio dos profissionais de vendas e marketing

Os resultados do terceiro trimestre de 2020, apurados pela Sondagem de Confiança e Expectativa dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Sondagem ADVB FIPE, revelam uma ligeira melhora nos indicadores estudados, quando comparados aos dois trimestres anteriores.

Enquanto a percepção negativa se mantém em relação às condições recentes da economia brasileira (58,9%), do setor econômico (42,1%) e dos negócios das empresas (43,2%) dos respondentes, no campo das expectativas para o futuro próximo observamos algum otimismo em todas as dimensões.

No tocante às expectativas dos agentes para o futuro próximo, os respondentes da última pesquisa se distribuíram da seguinte forma: com relação à economia brasileira, 27,5% estavam pessimistas ou muito pessimistas; 28,6% se mostraram neutros e 44,0% estavam otimistas ou muito otimistas.

Com respeito ao setor de atuação, 27,5% se mostraram pessimistas ou muito pessimistas; 16,5% apontaram neutralidade e 56,0% estavam otimistas ou muito otimistas. Finalmente, no tocante à empresa em que atuam, a expectativa era pessimista/muito pessimista para 17,6% dos respondentes; neutra para 18,7% e otimista/muito otimista para 63,7%.

Comparados os dados do terceiro trimestre de 2020, com igual período nos dois anos anteriores, a confiança dos respondentes sobre a própria empresa e os negócios permanece a menos afetada, entre as dimensões avaliadas.

No campo das expectativas, os respondentes também se mostraram mais otimistas em relação aos dois trimestres anteriores. Novamente, os resultados reforçam que a expectativa média para a evolução da própria empresa e dos negócios dos respondentes é mais otimista que a registrada para a economia brasileira e o setor em que atuam.

Após dois trimestres marcados pelos efeitos devastadores da Covid-19, o cenário de desconfiança na economia contrasta com a recuperação de expectativas mais otimistas apuradas agora junto aos dirigentes de marketing e vendas. Mas isso está longe de ser um paradoxo, segundo Aristides Cury, presidente da ADVB-SP. “É típico dos profissionais da área comercial assumirem para si a força da superação das dificuldades com automotivação”, resume.

Enquanto a confiança na economia brasileira permanece em baixa no terceiro trimestre, a expectativa em relação à evolução recente do cenário econômico melhora. Mantendo o mesmo comportamento, o par confiança-expectativa evolui em relação ao setor de atuação. Focando-se a análise na percepção atual e futura para as empresas e os negócios dos respondentes, os últimos resultados reforçam a percepção de melhora nas condições recentemente vivenciadas.

Por fim, a Sondagem ADVB FIPE sinaliza que em relação ao valor das vendas, os respondentes se distribuíram entre aqueles que se declaram otimistas (60%) e pessimistas (23,3%), enquanto os demais respondentes do terceiro trimestre de 2020 (16,7%) apostaram na estabilidade. Assim, a expectativa média com relação à evolução da verba de marketing disponível para ações e investimentos nos próximos 12 meses é de elevação, para 43,3% dos respondentes; de estabilidade, para 30,0% dos respondentes; e de queda, para o restante da amostra (26,7%).

Confira a íntegra do relatório da Sondagem ADVB FIPE no link.

Tags
Exibir Mais

Edinaele Sousa

Jornalista e Produtora, 22. Além de registrar fatos, o jornalismo escreve histórias que serão contadas por gerações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar