Washington (AFP) – Os Estados Unidos planejam retomar em novembro a política da era Trump “Fique no México”, que obrigava os solicitantes de asilo a aguardar naquele país a resolução de seus casos, anunciou a Casa Branca nesta sexta-feira.O presidente Joe Biden encerrou em junho o programa Protocolos de Proteção ao Migrante (MPP), estabelecido em 2019 por seu antecessor Donald Trump e pelo qual cerca de 70.000 requerentes de asilo, a maioria da América Central, foram enviados de volta ao México para aguardar naquele país a data de sua audiência em tribunais americanos.Em agosto, no entanto, um tribunal federal do Texas ordenou a retomada do MPP, por considerar que o governo Biden o havia encerrado indevidamente. Semanas depois, a Suprema Corte negou o pedido do governo para bloquear essa decisão. Karine Jean-Pierre, porta-voz da Casa Branca, informou que na noite desta quinta-feira o Departamento de Segurança Interior (DHS) “apresentou um relatório ordenado pelo tribunal descrevendo as medidas tomadas em conformidade com a ordem judicial para restabelecer o MPP.””O DHS apelou dessa ordem judicial e anunciou que pretende emitir um segundo memorando de rescisão do MPP”, mas, enquanto isso, “o governo Biden cumprirá a lei e acatará a ordem do tribunal”, assinalou a porta-voz.Em seu relatório, o DHS indica que “está em condições de reimplementar o MPP em meados de novembro, a depender das decisões tomadas pelo México”. O departamento informou no Twitter que as negociações com o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador continuam.O Ministério das Relações Exteriores do México emitiu um comunicado no qual reiterou seu “respeito pelos migrantes e solicitantes de asilo”, mas não mencionou o MPP. “De forma soberana, o México continuará o diálogo com o Executivo dos Estados Unidos, a fim de fazer avançar uma política migratória regional ordenada, segura e regular”, afirmou.Mais de 1,3 milhão de pessoas foram detidas na fronteira sul dos Estados Unidos desde a chegada de Biden à Casa Branca, em janeiro, um nível que não era visto há 20 anos. Grupos de defesa dos direitos humanos denunciaram a reativação da política Fique no México, que Biden havia prometido eliminar, por considerá-la desumana.