Washington (AFP) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu nesta sexta-feira (17) que o mundo leve sua “máxima” ambição à cúpula da ONU sobre mudanças climáticas, que será realizada em novembro, alertando que o planeta enfrenta um prazo cada vez mais apertado.”Temos que trazer nossas mais altas ambições para Glasgow. Para aqueles que ainda não o fizeram, o tempo está se esgotando”, disse Biden na Casa Branca no início de uma cúpula virtual com nove líderes estrangeiros.Biden declarou que os Estados Unidos estão tomando medidas concretas para cumprir as metas climáticas da ONU, e observou que as recentes inundações devastadoras no nordeste do país e incêndios florestais nos estados do oeste ecoavam eventos climáticos extremos da China à Amazônia. No mês passado, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU afirmou que a temperatura média da Terra chegará a 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais em 2030, uma década antes do esperado há três anos.Biden enfatizou que isso representa “um alerta vermelho para a humanidade”. “Todos nós temos que agir. Temos que agir agora”, disse o presidente, que convocou o fórum virtual em preparação para a cúpula da ONU, a ser realizada em Glasgow no início de novembro. O encontro foi marcado pelas ausências do presidente chinês Xi Jinping e dos líderes do Brasil e da Índia; três atores relevantes na crise ambiental.Os líderes mundiais também participarão de uma conferência a portas fechadas sobre o clima na segunda-feira, paralelamente à Assembleia Geral anual da ONU em Nova York. A cúpula de Glasgow estará focada em garantir que o mundo cumpra a meta acordada de limitar o aquecimento a 1,5 graus Celsius.Mas “sem o envolvimento adequado de todos os países nesta sala, a meta de limitar o aquecimento a 1,5 está saindo do controle e isso é um desastre”, disse Biden. Ele destacou o compromisso dos Estados Unidos em reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50-52% até 2030 em comparação com os níveis de 2005, junto com outros objetivos importantes.Um deles é o compromisso conjunto com a União Europeia e outros parceiros para reduzir as emissões globais de metano em pelo menos 30% abaixo dos níveis de 2020 até 2030. “Nossa ênfase este ano será em construir ambição no caminho para Glasgow”, disse ele, mas acrescentou: “Glasgow não é nosso destino final”.Biden participou dessa reunião da Casa Branca por videoconferência com os presidentes da Argentina, Bangladesh, Indonésia, México e Coreia do Sul, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.