Foto: Divulgação
Manter a regularidade fiscal junto aos órgãos competentes requer uma atenção especial aos processos de caixa dentro das empresas. De micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) a grandes organizações, aquilo que pode parecer tarefa difícil ao empreendedor ou a setores responsáveis dentro de grandes negócios tende a ser facilitado por ferramentas digitais que verificam e atestam a regularidade dos registros nas declarações enviados ao fisco. O consultor e especialista em tributário, J. S. dos Santos, reforça a importância desses softwares para as áreas fiscal e tributária. “Com programas de computador, podemos dar celeridade aos processos de declarações junto à Receita Federal e não somente, também na esfera estadual e municipal. Com eles [os softwares] os setores são mais assertivos nos valores a serem declarados e montantes pagos aos modelos de arrecadação”, explica. 
 
O mercado disponibiliza plataformas online que auxiliam nesse processo. Assim, o gestor ou responsável pela área dispõe de ferramentas de revisão de documentos e registros enviados ao fisco, além da recuperação de crédito, documentação exigida pelo Simples Nacional, Escrituração Contábil Fiscal (ECF) que substitui a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ), Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) e XML, sigla para eXtensible Markup Language, marcação para definição de regras para codificar diferentes documentos, muito utilizado para a criação de Notas Fiscais Eletrônicas, as chamadas de NF-e, armazená-las e garantir uma assinatura digital. O SPED, da Receita Federal, é o Sistema Público de Escrituração Digital. 
 
A gerente de consultoria tributária, Ana Paula A. Lima, utiliza essas ferramentas a fim de otimizar o tempo durante essas auditorias. Além disso, os softwares são capazes de ir direto nas inconformidades, dando à consultoria um olhar mais cirúrgico para as correções. Segundo ela, esses sistemas liberam um relatório com as inconsistências apresentadas e por registro no final do processo. Nós utilizamos o MA, Taxcel e e-auditoria. Eles fazem cruzamentos de informações acessórias, verificando a conformidade dos registros nas declarações/speds enviados ao fisco”, finaliza. 
 
A especialista, com atuação na Santos Consultoria, explicou ainda a função de cada ferramenta. 
 
Taxcel: transforma os arquivos de speds, em Excel, assim é possível fazer ajustes, inserido informações ou fazendo correções;
 
MA: verifica e cruza entre os registros dos Speds, oferecendo otimização de tempo de análise;
 
E-auditoria: composto por 8 ferramentas, ele disponibiliza pareceres sobre registros fiscais e auxilia na manutenção da saúde fiscal de empresas.