Foto: Divulgação

A pontuação que indica o risco de inadimplência, chamada de score, passou por algumas mudanças e, agora, irá considerar mais hábitos correntes de bom pagador.

Antigamente, o score era medido pela má pontuação da pessoa, pagamento em atraso ou não pagamento de contas, o que faziam os scores caírem bastante. Porém, o Serasa anunciou mudanças na metodologia de cálculo do score. Antes, a nota que valia entre zero a mil pontos, significava que quanto mais baixo o score, maiores eram as chances de inadimplência.

O Score 2.0, nova metodologia do Serasa, passa a dar mais peso ao comportamento recente do consumidor como pagador, no lugar de seu histórico de dívidas.

Segundo o especialista da Recomece Brasil, Leornado Mafra- gerente comercial e especialista em reabilitação de crédito- a mudança torna o score mais preciso para a concessão de crédito. Até agora, o score analisava os comportamentos negativos: se o consumidor já teve o nome sujo, se pagou ou deixou de pagar dívidas.

“O peso no cálculo do item pagamento de crédito passou de 13,9% para 43,6%. Porém, o “tempo de uso de crédito” subiu de 8,4% para 10,1% e crédito contratado, de 3,6% para 7,9%. E na outra vertente, o histórico de dívidas teve o peso reduzido de 30,2% para 13,7%; e pagamento de dívidas de 26,5% para 5,5%”, explica Leonardo.

As mudanças já estão valendo a partir de agora. O score de 701 a 1000 é muito bom, de 501 a 700 é bom; o regular é de 301 a 500 e o baixo vai de 0 a 300. A mudança tornou o score mais preciso para a concessão de crédito. Agora, são analisados as informações para análise de hábitos, sendo possível verificar as contas que a pessoa paga e se as pagam em dia.

De acordo com Leonardo, no modelo antigo do score, a existência de uma dívida deixada em aberto há três anos, seria um peso, mesmo se atualmente a pessoa tivesse quitado o débito, o que dificultaria a obtenção de crédito.

Já no novo modelo, o histórico atual de bom pagador tem peso maior. “Ou seja, quem paga suas despesas em dia terá um score maior do que quem adia, mesmo que isso não implique em calote. Quem faz o pagamento mínimo no cartão de credito, terá uma pontuação menor do que quem paga o valor total”, ressalta o especialista.

Para mais informações sobre como obter um crédito no mercado, aumentar o score ou uma blindagem de CPF ou CNPJ, é possível entrar em contato com a Recomece Brasil, empresa especializada em reabilitação de crédito, através do telefone: (85) 992026181