A enfermeira Mônica Calazans recebe a vacina CoronaVac contra o novo coronavírus em São Paulo, 17 de janeiro de 2021 | Foto: AFP

Uma enfermeira de 54 anos recebeu neste domingo (17) a primeira vacina contra o novo coronavírus no Brasil, imediatamente após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso emergencial de dois imunizantes.

Mônica Calazans, uma enfermeira negra recebeu a dose da vacina CoronaVac, elaborada pelo laboratório chinês Sinovac em cooperação com o Instituto Butantan, durante uma cerimônia na presença do governador de São Paulo, João Doria.

Mulher, negra, Mônica faz parte do grupo de risco para a doença, e atua na linha de frente contra Covid-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Ela foi voluntária da terceira fase dos testes clínicos da CoronaVac realizados no país e tinha recebido placebo.

Falo com segurança e propriedade, não tenham medo”, disse Mônica após receber a dose.

No total, segundo informou o governo do estado, 112 profissionais de saúde foram vacinados neste domingo (17).

Após ser imunizada, Mônica recebeu do governador João Doria (PSDB) um selo simbólico com os dizeres “Estou vacinado pelo Butantan” e uma pulseira com a frase “Eu me vacinei”.

A aplicação foi feita no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e acompanhada pelo governador João Doria (PSDB).

A enfermeira Jéssica Pires de Camargo, de 30 anos, funcionária do Controle de Doenças e Mestre de Saúde Coletiva pela Santa Casa de São Paulo, foi responsável por aplicar a dose.

Com informações do G1