Miami (AFP) – O empresário colombiano Alex Saab, acusado de corrupção e próximo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, foi extraditado de Cabo Verde para os Estados Unidos neste sábado, informou à AFP uma fonte de sua equipe jurídica.”Ele está no avião rumo aos Estados Unidos”, disse a fonte. Após a extradição, Caracas denunciou em nota oficial o que chamou de “sequestro do diplomata venezuelano Alex Saab pelo governo dos Estados Unidos em cumplicidade com autoridades cabo-verdianas”.Saab e seu sócio comercial Álvaro Pulido são acusados nos Estados Unidos de dirigir uma rede que explorava a ajuda alimentar destinada à Venezuela. Eles são acusados de transferir cerca de US$ 350 milhões para contas que controlavam nos Estados Unidos e em outros países, e podem ser condenados a até 20 anos de prisão.Saab, que também possui nacionalidade venezuelana e passaporte diplomático daquele país, foi acusado em julho de 2019, em Miami, de lavagem de dinheiro, e preso durante uma escala de avião em Cabo Verde, na África, em junho de 2020.O Departamento de Justiça dos Estados Unidos não respondeu a um pedido da AFP para confirmar a extradição de Saab, mas o presidente colombiano, Iván Duque, publicou no Twitter que a extradição do empresário “é uma vitória na luta contra o narcotráfico, a lavagem de dinheiro e a corrupção que propiciou a ditadura de Nicolás Maduro. A Colômbia apoiou e seguirá apoiando os Estados Unidos na investigação contra a rede criminosa transnacional liderada por Saab.”Cabo Verde concordou no mês passado em extraditar Saab para os Estados Unidos, apesar dos protestos da Venezuela.