Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura - Fortaleza

O mês de agosto termina com uma série de programações ligadas à imagem. Nesta terça-feira (27/08), o Museu da Cultura Cearense dá início aos encontros do Ateliê Aberto de Fotopintura com Mestre Júlio Santos, dentro do projeto Deslimites da Memória, em parceria com o  Programa de Fotopoéticas da Escola Porto Iracema das Artes. Damos continuidade à série de debates relacionados à museologia que ocorrem dentro do programa Programa Conexões Museu – Memória, história e patrimônio: experiências de pesquisa, nesta quarta-feira (28/08).

Na quinta-feira, abertura da exposição A falta que você faz, realizada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha, com retratos da fotógrafa Marizilda Cruppe e videomapping de Rogério Costa. A instalação conta um pouco da história, desafios e angústias de 19 famílias – três delas cearenses – que sofrem com o desaparecimento de um familiar, uma experiência invariável e incontestavelmente devastadora.

Pra fechar o fim de semana e o mês de agosto, o Cinema do Dragão apresenta, dentro da programação do 29o Cine Ceará, a Mostra Olhar do Ceará, composta por 20 filmes, sendo 17 curtas e três longas, com as mais diversas propostas fílmicas e temáticas. Do total, 11 são dirigidos ou têm a codireção de mulheres. Os três longas na mostra são: o documentário “Currais”, de David Aguiar e Sabina Colares, e as ficções “Se arrependimento matasse”, de Lília Moema Santana, e “Tremor iê”, de Elena Meirelles e Lívia de Paiva.

Confira a programação completa abaixo:

 

FOTOGRAFIA: Projeto Deslimites da Memória – Ateliê aberto de fotopintura com mestre Júlio Santos

O projeto Deslimites da Memória reúne os artistas Cyro Almeida (Belo Horizonte-MG) e Júlio Santos (Fortaleza-CE) e resultará numa exposição no Museu Mineiro e no Dragão do Mar a partir de fotografias de Cyro Almeida que serão colorizadas por Júlio Santos, utilizando a antiga técnica no cavalete, com pigmentos a óleo e pastel e as indumentárias próprias da fotopintura. O público poderá acompanhar o processo de confecção das obras que serão pintadas por mestre Júlio Santos no Ateliê de Artes do Centro Dragão do Mar, nos meses de agosto e setembro de 2019, mediante inscrição no local. Esta ação ocorre em parceria com o Programa de Fotopoéticas da Escola Porto Iracema das Artes.

Convidados: Cyro Almeida: (Araxá-MG, 1984) é fotógrafo documentarista, artista visual e professor de fotografia. Mestre em comunicação social e graduado em psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Dedica-se à figuração do território urbano nas periferias de Belém do Pará, pesquisa com a qual foi contemplado, em 2015, com o XV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia. Em 2014 realizou a mostra individual Dandara, no Palácio das Artes, fruto de sua vivência na ocupação urbana de mesmo nome em Belo Horizonte. Publicou os livros Pequena rota do insuspeitável (2017) e Dandara (2014). Vive em Belo Horizonte.

Sobre Júlio Santos: (fotógrafo, mestre da fotopintura, foto pintor contemporâneo e digital, artista plástico, é considerado um dos maiores profissionais da fotopintura brasileira, com vasto conhecimento químico, histórico e digital da fotografia, seu trabalho é tido como um refinamento no conceito tradicional da técnica)

Foto: Divulgação

 

Dia: 27 de Agosto a 10 de setembro de 2019 (terças e quintas-feiras); das 14h30 às 17h30;

Local: Ateliê das Artes

Acesso Gratuito; Inscrição no Local ; Classificação indicativa Livre

 

DEBATE:  Programa Conexões Museu – Memória, história e patrimônio: experiências de pesquisa

Conexões Museu é um espaço de reflexão e trocas de estudos, saberes, pesquisas, práticas e experiências que contextualizam e ressignificam o campo museológico contemporâneo. A atividade acontece na última quarta-feira de cada mês, no horário de 16 h às 18 h, no Museu da Cultura Cearense.

Conexão Museu – Memória, história e patrimônio: experiências de pesquisa

A palestra refletirá sobre a importância das discussões acerca da memória, história e patrimônio nas pesquisas realizadas pela historiadora Patrícia Xavier, assim como no seu desenvolvimento profissional envolvendo educação, museus e patrimônio cultural.

Convidada: Patrícia Xavier é graduada em história pela UFC, Mestre em História Social pela PUC/SP eMestre em Preservação do Patrimônio Cultural pelo Iphan/CE. Atualmente é coordenadora do Museu da Indústria.

Inscrição via formulário:  http://twixar.me/kXW1

Dia: 28 de Agosto de 2019; das 16h às 18h;

Local: Miniauditório do Museu da Cultura Cearense

Acesso Gratuito ; Classificação indicativa Livre

 

Múltiplas Linguagens:  Festival Alunos que Inspiram Secretaria de Educação do Ceará

O Festival Alunos que Inspiram é uma iniciativa destinada a apoiar e fortalecer as ações voltadas à produção artística e cultural dos alunos matriculados na rede pública estadual de ensino. A ação tem a perspectiva de promover a interação dos jovens, dar visibilidade aos talentos artísticos dos estudantes, além de estimular a participação em atividades que contribuam para a formação global.

Na edição 2019, foram consideradas 06 categorias, distribuídas em 15 expressões artísticas (Pintura, Desenho, Grafite, Escultura, Fotografia, Poesia, Cordel, Quadrinhos, Conto, Crônica, Dança, Grupo Musical Intérprete e Autoral, Esquete Teatral e Vídeo: Curta Metragem). Ao todo, a fase escolar contou com 10.804 trabalhos inscritos.

Foto: Divulgação

 

Dia: 29/08/2019

Horário: 17 às 21:30

Local: Praça Verde

Ingressos: Alunos da Rede Estadual

Classificação etária: Livre

CONVERSA:  Rumos da Acessibilidade -Barreiras no acesso à arte e cultura para autistas  – Grupo Neurodiversidade da Casa da Esperança

A roda de conversa terá como dinâmica dar voz aos autistas presentes, no intuito de gerar um debate fecundo entre estes e as pessoas que tem discutido, refletido, experienciado e pesquisado sobre acessibilidade de forma geral. O objetivo é melhor entender, para tornar viável o acesso destas pessoas aos bens, serviços e produtos culturais oferecidos pela sociedade.

Participantes: Beatriz Sousa (autista, estudante de Psicologia e coordenadora do grupo

Neurodiversos, responsável pela página Vida no Espectro); Jaciane Pássaro: (autista, membro do grupo Neurodiversos); Alexandre Mapurunga: (assessor técnico da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Ceará, membro do grupo Neurodiversos)

Mediação: professora Eloísa Rodrigues (mestre em Educação e Ensino pela UECE, membro do grupo Neurodiversos)

Inscrições no formulário: http://twixar.me/cjW1 

Programa Rumos da Acessibilidade

O programa Rumos da Acessibilidade é um locus de reflexão e compartilhamento de conhecimentos, trajetórias, experiências, práticas e pesquisas sobre acessibilidade com o objetivo de favorecer o acesso aos bens, serviços e produtos culturais oferecidos pela sociedade. A programação em distintos formatos (oficinas, palestras, exibição de vídeos, workshops, mostras) acontece nas últimas quintas-feiras de cada mês, no horário de 16h às 18h, no Museu da Cultura Cearense.

Dia: 29 de Agosto de 2019; das 16h às 18h;

Local: Miniauditório do Museu da Cultura Cearense ;

Acesso Gratuito ; Classificação indicativa Livre

 

MÚSICA: Daíra Cantando Belchior- Turnê Nacional Amar e Mudar as Coisas

Daíra Saboia não canta por cantar. Ela canta para dizer: para contar histórias, para lembrar lugares, para explicar pessoas e revelar um retrato das mais belas paisagens sonoras do Brasil.  Cantora e atriz de Niterói, lançou seu seu primeiro disco Flor (jazz – MPB/ Selecionado no Prêmio da Música Brasileira) em 2014, e logo começou a buscar novas influências e se aprimorar como intérprete e como compositora.

Em 2016, foi convidada pelo diretor do selo Poraganté para gravar um disco com releituras de Belchior que gerou um belíssimo disco e show: Amar e mudar as coisas.

Através deste disco, se destacou entre os artistas do selo Porangareté, com seus vídeos no Youtube. O disco foi lançado em 2017, no Teatro Rival, no RJ. Com a morte de Belchior, Elba Ramalho – maior cantora representante deste sentimento nordestino – se encantou no YouTube por Daíra .  Elba a convidou para uma participação em seu show e – partir daí- cantaram juntas por diversas vezes à convite de Elba. Em sua trajetória Daíra colecionou parcerias e cantou ao lado de Jards Macalé, Danilo Caymmi, Arthur Verocai, Roberto Menescal, Eliane Elias (Nova York) Brian Blade(Miles Davis), Luiz Alves, Lula Galvão, Paulo Russo, Letícia Novaes (Letrux) a banda El Efecto, Chico Chico, entre outros.

Após excursionar por 08 capitais do Brasil cantando Belchior, Daíra se prepara para seu novo trabalho onde a profundidade das composições reflete diversos aspectos da nossa cultura atual.

Foto: Dilvugação / Daíra canta Belchior

Dia: 30 de Agosto de 2019; às 19h30;

Local: Teatro Dragão do Mar;

Ingresso: R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia);

Classificação indicativa: Livre

 

CINEMA: 29° Cine Ceará

O 29º Cine Ceará tem por finalidade levar ao público cearense uma parcela significativa da produção de cinema e vídeo ibero-americanos, possibilitando o intercâmbio entre os produtores brasileiros e dos países ibero-americanos e a divulgação de novos talentos na área do audiovisual. É uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará por meio da Secretaria da Cultura, e do Ministério da Cidadania – Secretaria Especial da Cultura. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e a Bucanero Filmes e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (SIEC) e da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). No Cinema do Dragão será realizada a Mostra Olhar do Ceará, formada por 17 curtas-metragens e 3 longas cearenses.

OLHAR DO CEARÁ

A Mostra Olhar do Ceará será composta por 20 filmes, sendo 17 curtas e três longas, com as mais diversas propostas fílmicas e temáticas. Do total, 11 são dirigidos ou têm a codireção de mulheres. Os três longas na mostra são: o documentário “Currais”, de David Aguiar e Sabina Colares, e as ficções “Se arrependimento matasse”, de Lília Moema Santana, e “Tremor iê”, de Elena Meirelles e Lívia de Paiva. Dos 102 curtas cearenses inscritos no Festival, cinco estão na Competitiva Brasileira e 17 vão concorrer na Mostra Olhar do Ceará. São curtas que vêm dos mais variados espaços de realização da capital e do interior, de experientes produtoras locais ou da experimentação universitária. A curadoria da Mostra Olhar do Ceará foi feita por meio do trabalho conjunto da comissão da mostra de curtas-metragens, composta por Diego Benevides e Breno Reis, e da mostra de longas-metragens, pelos cineastas Wolney Oliveira e Margarita Hernandez.

OS FILMES DA MOSTRA OLHAR DO CEARÁ

LONGAS-METRAGENS

  • Currais –  Dir. David Aguiar e Sabina Colares. Documentário 2019 – Duração – 91min.
  • Se arrependimento matasse – Dir. Lília Moema Santana. Ficção 2019 – Duração – 109min.
  • Tremor iê – Dir. Elena Meirelles e Lívia de Paiva. Ficção 2019 – Duração – 89min.

CURTAS-METRAGENS

  • A família marrom – Dir. Natal Portela. Documentário. 2019.
  • A mulher da pele azul – Dir. Esther Arruda e Pedro Ulee. Documentário. 2019.
  • A primeira foto – Dir. Tiago Pedro. Documentário. 2019.
  • Aqueles dois. Dir – Émerson Maranhão. Documentário. 2018.
  • Caretas – Dir Sara Parente. Documentário. 2019.
  • Deusa Olímpica. Dir. Emília Schramm, Jéssika Souza, Pedro Luís Viana e Rafael Brasileiro. Documentário. 2018.
  • Espavento – Dir. Ana Francelino. Ficção. 2019.
  • Grilhões – Dir. Lucas Inocêncio. Ficção. 2018.
  • Hoje teci imagens que me habitam há muito tempo – Dir. Nilo Rivas. Experimental. 2019.
  • Icarus –  Dir. Vitor Rennan e Vitória Régia. Documentário. 2018.
  • Iracema mon amour –  Dir. Cesar Teixeira. Ficção. 2018.
  • O bando sagrado – Dir. Breno Baptista. Ficção. 2019.
  • Oceano – Dir. Amanda Pontes e Michelline Helena. Ficção. 2018.
  • Onde a noite não adormece –  Dir. Paolla Martins e Rodrigo Ferreira. Ficção. 2018.
  • Onde A cidade é comida, saudade é fome – Dir. Willian Ferreira. Experimental. 2019.
  • Revoada –  Dir. Victor Costa Lopes. Ficção. 2019.
  • Veias de fogo – Dir. Carnaval no Inferno. Documentário. 2019.
Foto: Divulgação

Dias: De 31 de agosto à 04 de setembro; Local: Cinema Dragão do Mar – Sala 02

Horários: Sessão: 14h30 às 16h30/ Debate: 16h30 às 17h30

 

►FORMAÇÃO: Discussão sobre Imagem política e produto não capitalista

 Encontro do Grupo de Investigação e Sensibilização Poética pela Imagem (GISPI)

O estudo da imagem e os lugares de sua interferência político-social, entre a intenção de um artista e o olhar do espectador, semelhanças e dessemelhanças. A imagem política é uma forma de questionar o normal ou normativo, interroga diante dos olhos.

Dia: 31 de Agosto de 2019; das 14h às 16h;

Local: Miniauditório do Museu da Cultura Cearense;

Acesso Gratuito ; Classificação indicativa Livre

 

► OFICINA AGITPROP – Agitação e Propaganda

 Encontro do Grupo de Investigação e Sensibilização Poética pela Imagem (GISPI)

A oficina dialoga processos de criação com viés político utilizando a linguagem artística contemporânea.Com o intuito de provocar e contrapor o sistema de governo atual, trazendo questões sobre a precariedade da situação político-social do país as frases podem remeter a citações de revolucionários, palavras de ordem ou desordem. AGITPROP significa agitação e propaganda, palavra utilizada no período da revolução Russa.

Ministrante: Aline Albuquerque (mãe, artista e educadora, formada em Artes Plásticas pela UNICAMP, mestre em Artes pela Universidade Federal do Ceará, pesquisadora do LAMUR – Laboratório de Artes e Micropolíticas da UFC, coordena o Laboratório de Artes Visuais da escola Porto Iracema das Artes)

Dia: 31 de Agosto de 2019; às 16h;

Local: Miniauditório do Museu da Cultura Cearense;

Acesso Gratuito; Inscrição http://twixar.me/gpW1;

Classificação indicativa Livre

 EXPOSIÇÕES

 

► Museus da Cultura Cearense: Mostra imersiva “A falta que você faz”

Comitê Internacional da Cruz Vermelha 

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) apresenta de 29 de agosto a 29 de setembro de 2019, no Centro Cultural Dragão do Mar, em Fortaleza, a mostra imersiva “A falta que você faz”. Com retratos da fotógrafa Marizilda Cruppe e videomapping de Rogério Costa,  a instalação conta um pouco da história, desafios e angústias de 19 famílias – três delas cearenses – que sofrem com o desaparecimento de um familiar, uma experiência invariável e incontestavelmente devastadora.

Como fotografar o vazio gerado pela desaparecimento de um familiar e ainda capturar a força dessas pessoas para enfrentar a situação e buscar respostas? A instalação traz retratos realizados nas residências dos familiares, com um olhar humano e sensível sobre o desaparecimento e suas consequências para os que ficam, levando o visitante a uma reflexão sobre um problema comum a milhares de pessoas em todo o mundo. No Brasil, segundo um levantamento realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) durante o ano de 2017, 82.684 casos de desaparecimentos foram reportados às polícias civis.

O CICV se esforça para identificar e compreender as necessidades dos familiares de pessoas desaparecidas e apresentar às autoridades responsáveis recomendações e apoio que permitam oferecer respostas adaptadas a tais necessidades.

Abertura: 29 de agosto; horário: 19h;

Visitação: de 30 de agosto a 29 de setembro (segunda – sexta, 9h – 19h; sábado e domingo, 14h – 21h);

Ingressos: Entrada gratuita Classificação Livre

Foto: Divulgação / Familia Cruz
Foto: Divulgação / Familia França

Ficha técnica – Exposição ‘A falta que você faz’

Fotografias

Marizilda Cruppe

Direção artística do video mapping

Rogério Costa

Vídeos com familiares

Realejo Filmes

Coordenação Geral

Sandra Lefcovich

Produção Executiva

Gabriela Borelli

Produção Geral

Cristiano Tomé

Eld Gonçalves

Jerzy Rafael Zakrzewski

Johnson Rodrigues Ferreira

Produção do projeto fotográfico e entrevistas

Bruno Radicchi

Gabriela Borelli

Juliana Nogueira

Sandra Lefcovich

Equipe de Comunicação

Diogo Alcântara (Imprensa)

Gabriela Guedes (Produção gráfica e audiovisual)

Gabriel Coaracy (Digital)

Matehus Costa Nunes (Estagiário)

Nathalia Josino

Projeto Expográfico

Estúdio Craft

Execução e montagem

Trapiche Cultural

Projeção

ON Projeções

Produção gráfica e visual

Ana Soter

Delegação Regional do CICV para Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai

Chefe de Delegação

Simone Casabianca-Aeschlimann

Responsável pelo Programa de Pessoas Desaparecidas

Larissa Leite

Programa de Pessoas Desaparecidas

Marianne Pecassou

Fábio Azeredo

Patrícia Badke

Andrés Patiño

Luana Fagundes

Bismarck Moura

Jussara De Rezende Assaff