(Foto: Reprodução/ Internet)

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanon, alertou nesta sexta-feira (12) que, mesmo com o início da vacinação contra a Covid-19 e diminuição dos casos a nível global nas últimas semanas, os países não devem flexibilizar as medidas adotadas para frear a pandemia.

“A complacência é tão perigosa quanto o próprio vírus. Agora não é hora de nenhum país relaxar as medidas ou de qualquer indivíduo baixar a guarda contra o coronavírus”, disse Adhanon.

O dirigente informou que os casos globais diminuíram pela quarta semana consecutiva, assim como o número de mortes, que caiu pela segunda semana consecutiva, e que esses ganhos são resultado direto das medidas mais rigorosas contra o vírus.

“Esses declínios [nas últimas quatro semanas] podem ser atribuídos aos países que implementaram medidas de saúde pública de forma mais rigorosa”, afirmou.

“Juntamente com as medidas de saúde pública, a rapidez com que expandiremos coletivamente a fabricação da vacina e distribuí-las a todos os países determinará em quanto tempo controlamos a pandemia”, completou Tedros.

A cientista chefe da OMS, Soumya Swaminathan, alertou que a vacinação não deve ser justificativa para as pessoas deixarem de seguir as medidas individuais contra a Covid-19, uma vez que o vacinado ainda pode contrair e transmitir o vírus.

“Mesmo vacinadas, as pessoas devem continuar lavando as mãos, usando máscara, mantendo o distanciamento físico e evitar aglomerações”, disse Swaminathan.

Origem do vírus: ‘todas as hipóteses’

Representantes da missão da OMS que foi à China recentemente para descobrir as origens do coronavírus também participaram da coletiva desta sexta-feira.

Ainda sem conclusões sobre a origem do vírus e como ele saltou dos animais para o homem, Adhanon afirmou que todas as hipóteses permanecem abertas.

“Recebemos questões nos perguntando se alguma hipótese [sobre a origem do coronavírus] havia sido descartada (…) Quero confirmar que todas as hipóteses permanecem abertas”, disse o diretor-geral da OMS.

Com informações do portal G1.com