EsportesFutebol

Cruzeiro Esporte Clube. Raposa. Ou Hoje Podia ser a Alemanha.

Time mineiro goleou por 7 a 0, em casa, o Universidad de Chile

Com o resultado, o Cruzeiro conseguiu a sua primeira vitória na Libertadores, depois de 2 empates e uma derrota, saindo com confiança para as próximas rodadas decisivas e galgando a sua permanência no campeonato.

O jogo foi uma ida ao parque num domigo ensolarado. Dominando desde o começo, o Cruzeiro abriu o placar, com menos de 10 minutos, com um gol de falta de Thiago Neves, que não balançava as redes na Libertadores desde 2008, quando jogava pelo Fluminense.

A Universidad de Chile entrou em campo apática e facilitou o jogo para o adversário. No fim do primeiro tempo o placar já estava em 3 a 0, Rafinha e Sassá deixaram sua marca junto com Thiago Neves. No segundo tempo, Arrascaeta deixou o seu, Sassá e Thiago Neves voltaram a marcar, e Rafael Sóbis passou a régua e fechou a conta.

O prêmio de melhor jogador em campo foi bem disputado, principalmente entre Thiago Neves e Sassá, mas sem dúvidas Arrascaeta se sobressaiu. O uruguaio fez um gol, sofreu um pênalti e ainda tirou dois jogadores da Universidad de Chile. Vilches e Echeverría não conseguiram segurar o jogo de cintura do meia e acabaram fazendo faltas seguidas de cartão amarelo, ambos já tinham um cartão dos outros jogos, resultando assim nas expulsões que ocorreram uma no final da primeira etapa, e a outra logo no começo da última.

Mano Menezes, treinador do time desde julho de 2016, explicou os motivos de o Cruzeiro não ter apertado a Universidad de Chile em Santiago. Ele lembrou que, na Libertadores, o jogar em casa é de extrema importância e dá um enorme peso nos confrontos.

Disse antes do jogo da La U que seria um jogo de 180 minutos, que teríamos de cuidar primeiro dos 90 lá, que tínhamos de fazer no mínimo um ponto, disse a vocês e aos jogadores, não faço conversa dúbia. As pessoas pensam que é fácil ganhar fora na Libertadores. Eu penso que é difícil. O Cruzeiro foi campeão em 97 e ganhou um jogo fora. Vasco ganhou uma em 98, a última, a final. É uma competição que o fator local pesa, inibe o jogo do visitante, favorece muito a confiança de quem manda o jogo.

Estávamos em uma situação crítica antes dos primeiros 90 minutos. Podíamos ambicionar e arriscar mais nos últimos minutos, tivemos quatro chances, poderíamos ter vencido. Mas como futebol é muito resultado, às vezes, quando a vitória não vem, as pessoas criticam tudo. Também podíamos ter tomado um gol no contra-ataque, e tudo teria ido embora.

– disse Mano.

Traçamos uma estratégia pensando em fazer no mínimo os quatro pontos. Hoje iniciamos bem, roubamos bola, isso nos deu uma vantagem inicial de 2 a 0, que abriu uma tranquilidade para o time e para o torcedor que veio ao estádio. Uma vitória que nos deixa feliz por ter nos colocado de novo na disputa.

– completou.

Vale lembrar que o time chileno segue sem nunca ter vencido o Cruzeiro na Libertadores, acumulando 5 derrotas e 1 empate, que ocorreu no último dia 19.

No jejum desde 1997, o time mineiro ganha carga extra de motivação para seguir rumo ao título. Cruzeiro ainda terá pela frente um jogo com o Vasco, no Rio, e outro contra o Racing, em BH todos pela primeira fase. Vamos ficar de olho.

 

Fotos: Reprodução

Tags
Exibir Mais

Thaynara Pinheiro

Designer de Moda, trabalha com produção de conteúdo, fotografia e tem um pé no design gráfico. Sempre disposta a ajudar e a fazer de tudo para os jobs saírem perfeitos. Responsável pela coordenação de conteúdos, marketing e criação de projetos do Portal Siará News e pela produção do programa Siará Digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estúdio Ao vivo

Abrir Rádio
Fechar