Nos últimos anos a busca por terapias que auxiliem no melhoramento da qualidade de vida tem ganhado espaço entre as pessoas.  A meditação é uma  prática bastante procurada e que vem se expandindo cada vez mais. É uma atividade que auxilia no desenvolvimento da concentração e diminuição dos sintomas de ansiedade e do estresse.

Do sânscrito dhyan, a meditação deriva da cultura ocidental e é voltada para silenciar os pensamentos e emoções aceleradas, trazendo o foco para a respiração. Segundo Osho, líder religioso e mestre de meditação, a prática é um caminho para o autoconhecimento.

“Meditação é um estado de simplesmente ser, apenas pura experiência, sem nenhuma interferência do corpo ou da mente. É um estado natural mas que esquecemos como acessá-lo.”  Desse modo, a pessoa se torna observadora de si  mesmo, percebendo suas limitações e complexidades. Desse modo, a meditação é uma prática que possibilita deixar fluir a  própria vida.

Tipos de meditação

Existem várias formas para a prática meditativa que podem variar de acordo com os objetivos do praticante, da filosofia de vida e vertente religiosa que segue. Dentre as mais comuns, as práticas que se desenvolvem a partir da respiração, de mantras ou imagens são as mais conhecidas. São elas:

Budista Tibetana

A meditação é realizada a partir do uso de mantras, visualização, gestos com as mãos (mudras) e mantendo a atenção ao ritmo da respiração. Normalmente, realiza-se leitura de textos religiosos de Buda antes da prática.

Transcendental

Não é de vertente religiosa como a anterior. É voltada para acalmar a mente e normalmente o instrutor indica um mantra pessoal para ser repetido várias vezes.

Raja Ioga 

Tem a vertente religiosa do hinduísmo e tem a finalidade  de desacelerar os pensamentos e se concentrar em sentimentos puros e positivos, como o amor, a compaixão e o perdão. Esse tipo de meditação não foca em mantras ou respiração.

Cristã

Derivada dos monges beneditinos, esta meditação foca na repetição de um mantra. Normalmente repete-se a palavras Maranatha (vem, Senhor!).

Zazen

De origem budista da tradição japonesa, a prática desta meditação é voltada para aprender a acolher os pensamentos, focando na presença do momento.

Dinâmica 

Esta meditação se diferencia das outras por acontecer através de movimentos do copo com o objetivo de liberar as tensões.

Benefícios da meditação

Reduz o estresse e a insônia

A prática frequente faz com que o corpo relaxe e diminua as tensões, facilitando a calma nos pensamentos e a harmonia entre corpo e mente. Além disso, proporciona mais capacidade de controle dos pensamentos e desconexão com problemas no momento de dormir.

Controle emocional

Como um dos objetivos da meditação é o autoconhecimento, a prática faz com que o autocontrole se desenvolva mais. Com isso, o praticante aprende a lidar melhor com emoções, sentimentos e pensamentos destrutivos.

Autoconhecimento

A prática leva a estar mais em contato consigo, ajuda a fazer escolhas mais conscientes e a potencializar melhor bons pensamentos sobre si.

 

Foto: Reprodução