[TEMPORADA DE ARTE CEARENSE]

[TEATRO DA TERÇA]
Espetáculo “Pra Frente o Pior”

Inquieta Cia

PRA FRENTE O PIOR é o fluxo de um processo criativo sem uma figura central na criação – ou seja, sem um encenador, diretor, dramaturgo ou coreógrafo. Conta com a interlocução de Marcelo Evelin e Thereza Rocha, desenvolvido no Laboratório de Teatro da Escola Porto Iracema das Artes. Dramaturgia vertiginosa, uma busca intensa em aprofundar um fazer a partir de uma única ação, permanecer nessa ação. Do insistir, que abra-se espaço para as inúmeras leituras.

Sinopse
Pessoas cavando seu próprio fim serão como pessoas cavando o fim. Passo a passo, um coletivo arranha um percurso adiante. Sempre adiante, desorientam pactos de convivência e, ainda assim, permanecem como grupo, comunidade, tribo, sociedade… Criar, lutar, adiante, sem esperança. Adiante sem acreditar. Adiante como imperativo ético. Um corpo que já não aguenta mais e se mantém, enfim. Adiante. Em fim.

Dias 17, 24 e 31 de julho de 2018, às 20h, no Teatro Dragão do Mar.
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).
Classificação etária: 18 anos.

[ESPETÁCULOS CIRCENSES]
Espetáculo “Pedro, que horas são?”

Coletivo Paralelo

O Coletivo Paralelo apresenta “Pedro, que horas são?”, espetáculo autoral encenado por Igor Cândido e Neto Holanda, com direção musical de Venicius Gomes e direção geral colaborativa.

“Pedro, que horas são?” é uma representação caricaturada do indivíduo contemporâneo, um grito de socorro por todos aqueles que se afundam diariamente nos grilhões da engessada rotina, mas pagam um preço à altura do próprio esforço: a omissão da liberdade em troca de uma suposta qualidade de vida.

Sinopse

Pedro é um jovem rapaz que sofre de um distúrbio raro com o tempo, o que acaba ocasionando uma série de desastres em sua vida. No frenesi do dia a dia, Pedro literalmente corre atrás de sua cura. Porém, curar-se pode significar assumir-se, e nem sempre se está preparado para isso.

[CIRCO EXPERIMENTAL]
Espetáculo “O Fim do Túnel”

Alex Albuquerque

Diante de fenômenos como a aurora Boreal, podemos nos deslumbrar com a grandeza das coisas e perceber o quanto somos pequenos e frágeis diante da imensidão do universo, que a cada segundo milhares de processos estão acontecendo, de formas e tamanhos que nem posso imaginar, acontecendo todos ao mesmo tempo em tantos lugares diferentes. Esse tipo de pensamento pode levar à um extremo sentimento de tristeza, desespero, invalidez e impotência. Mas vale lembrar que a cada instante eu também sou parte desses milhares de processos paralelos acontecendo, eu existo, eu estou aqui, e por mais que a minha existência não signifique nada no grande esquema das coisas, o agora é real, é vivo e transforma.

O número “O Fim do Túnel” surge de um processo pedagógico oriundo das práticas de aulas de linguagem circense no espaço Quintal Aéreo, sob a orientação de Gabriela Jardim, para compor a “I Mostra de Alunos do Quintal Aéreo”, realizada no dia 1 de Dezembro de 2017. Surgiu como um processo de improvisação técnica que tinha o objetivo da criação de um número aéreo de corda lisa que se ressignificou em um número que retrata os medos e inseguranças sobre existir.

Sinopse

“Por trás dos meus medos, o meu cérebro ainda libera neurotransmissores, o meu coração ainda bate, minhas células ainda se dividem. Eu me sinto só. Eu me sinto insignificante. Eu me sinto tão bonito como uma supernova. Eu também sou um evento físico-químico como as estrelas! Eu sinto que estou aqui, seja lá o que isso signifique.  E não importa o que aconteça amanhã, eu estive aqui”.
Natalia Castelo Branco

Dias 18 e 25 de julho de 2018, às 20h, no Teatro Dragão do Mar.
Ingressos: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia).
Classificação etária: Livre.

[CINEMA]
Mostra de filmes “Esperei pra ver no Dragão”

De 19 a 25 de julho, será realizada a mostra de férias “Esperei pra ver no Dragão”, na Sala 2 do Cinema do Dragão. A seleção de filmes resgata alguns dos principais lançamentos dos circuitos comercial e independente do primeiro semestre de 2018, com exibição inédita nas salas do Dragão, equilibrando a programação entre títulos de forte apelo de público e longas alternativos. A lista abrange 12 longas-metragens de países como França, Inglaterra, Rússia, Hungria, Sérvia e Estados Unidos. Além dos filmes da mostra, o Cinema do Dragão segue com programação regular em cartaz na Sala 1.

Lista de filmes

The Post – A guerra secreta (Universal)
Trama Fantasma (Universal)
O que te faz mais forte (Paris)
O sacrifício do servo sagrado (Diamond Films)
Hereditário (Diamond Films)
Baseado em fatos reais (Paris filmes)
O Parque (Zeta Filmes)
Tesnota (Zeta Filmes)
Réquiem para Sra. J (Zeta Filmes)
Lua de Júpiter (Imovision)
Desobediência (Sony)
À sombra de duas mulheres (Fênix Filmes)

De 19 a 25 de julho de 2018, a partir das 14h, na Sala 2 do Cinema do Dragão.
Ingressos: R$ 14,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia).
Às terças-feiras, os valores são promocionais: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).

[DIÁLOGO CULTURAL]
Autodefinição para a construção de uma luta negra no Brasil – Reflexões a partir do Apartheid

Será um espaço para falar do que foi esse período do Apartheid na África do Sul, mas também traçar paralelos com a história do Brasil e com a atualidade. Colocar em foco a questão do racismo, discriminação, extermínio da população negra e também as formas de resistir frente a isso.

Participantes

Luana Apolinário (Graduanda em Serviço Social pela UECE e militante do movimento negro)

Jamieson Simões (Pesquisador do Laboratório de Conflitualidades e Violência/COVIO/UECE. Assessor do Comitê pela Prevenção aos homicídios na Adolescência, consultor do UNICEF)

Luís Tomás Domingos (Professor da UNILAB. Docente e Vice-coordenador local do Programa Associado de Pós-Graduação em Antropologia – PPGA da Universidade Federal do Ceará – UFC e da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, UNILAB. Coordenador do Núcleo dos Estudos Africanos e Afro-Brasileiros – NEAAB – UNILAB)

Dia 19 de julho de 2018, das 17h às 19h, no Miniauditório do Museu da Cultura Cearense.
Classificação etária: Livre.
Acesso gratuito.

[DANÇA]
Ritmos e Poesia

O novo programa Ritmos e Poesia é uma ação do Instituto Dragão do Mar em parceria com Fórum de Danças Urbanas do Ceará, que tem o objetivo de apresentar trabalhos de coreografia autoral de grupos e artistas independentes do Ceará, selecionados por uma curadoria especializada. A programação será realizada numa quinta-feira por mês, fazendo conexão com o programa “Quinta com Dança”, da Temporada de Arte Cearense. O Ritmos e Poesia será realizado em formato de sarau, trazendo outras linguagens artísticas para dialogar com a dança. Nesse primeiro encontro, serão apresentados quatro trabalhos e um poeta declamando poemas de Rogaciano Leite entre as cenas apresentadas.

Dia 19 de julho de 2018, às 18h, no Espaço Rogaciano Leite Filho.
Classificação etária: Livre.
Acesso gratuito.

[ASTRONOMIA]
Noite das Estrelas

Todos os meses, sempre nas noites de Quarto Crescente Lunar, o planetário disponibiliza telescópios ao público em geral para observação astronômica de crateras da lua, planetas, nebulosas etc. Em caso de céu nublado, a sessão poderá ser interrompida ou cancelada.

Dias 19 e 20 de julho de 2018, às 19h, em frente ao Planetário.
Classificação etária: Livre.
Acesso gratuito

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Instituto Dragão do Mar
Foto: Divulgação